Veto norte-americano ao Brasil e Argentina leva a reunião bilateral

Arquivado em: Comércio, Destaque do Dia, Energia, Indústria, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 3 de dezembro de 2019 as 15:10, por: CdB

O presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou na véspera que pretende retomar as tarifas contra Brasil e Argentina, em uma medida que surpreendeu autoridades e representantes da indústria local. Brasil e Argentina vão se reunir durante a cúpula do Mercosul, programada para quinta e sexta-feiras.

 

Por Redação, com Reuters – de Brasília, Berlim e Buenos Aires

 

Argentina e Brasil vão realizar, ainda nesta semana, uma reunião para debater planos dos Estados Unidos para restaurar tarifas de importação de aço e alumínio vendido pelos dois países, afirmou o ministro da Produção da Argentina, Dante Sica, nesta terça-feira.

A venda de aço laminado é um dos pilares da balança comercial do Brasil com os EUA
A venda de aço laminado é um dos pilares da balança comercial do Brasil com os EUA

O presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou na véspera que pretende retomar as tarifas contra Brasil e Argentina, em uma medida que surpreendeu autoridades e representantes da indústria local. Brasil e Argentina vão se reunir durante a cúpula do Mercosul, programada para quinta e sexta-feiras.

— Concordamos em nos reunir na cúpula do Mercosul para termos uma discussão bilateral — disse Sica a jornalistas, em Buenos Aires. Além de Brasil e Argentina, o Mercosul é formado por Paraguai e Uruguai.

Futuro

Na Europa, o setor siderúrgico tomou conhecimento, também nesta terça-feira, que o conglomerado Thyssenkrupp — um dos maiores produtores mundiais de metais finos — revisará o plano de negócios para sua divisão de aço nas próximas semanas. O grupo acrescenta que havia espaço limitado para fundos adicionais devido ao seu extenso balanço patrimonial.

As declarações foram feitas quando trabalhadores do setor siderúrgico fizeram protestos na sede da unidade em Duisburg, na região do Ruhr, o coração industrial da Alemanha, pedindo segurança no emprego e investimentos futuros.

O futuro da unidade está em jogo depois que um acordo para uma fusão com a divisão europeia da Tata Steel fracassou no início deste ano. A Thyssenkrupp Steel Europe viu seu lucro operacional ajustado cair 95% no último ano fiscal.

Passivos

“Temos que investir. E é isso que fazemos. Isso significa que os fundos financeiros disponíveis para nós devem ser proporcionais ao lucro esperado”, afirmou o grupo em nota. “Por conta da situação econômica do grupo, a margem de manobra é limitada”, acrescentou.

A Thyssenkrupp disse que seus planos atuais incluem 570 milhões de euros em investimentos em aço, acrescentando que precisa primeiro revisar uma nova estratégia para a unidade antes de decidir se quer aumentar esse valor – e em quanto.

Funcionário do setor exigiram 1,5 bilhões de euros em investimentos ao longo de vários anos. O balanço da Thyssenkrupp está abaixo de 12,7 bilhões de euros em dívidas e passivos de pensão, contra uma avaliação de mercado de menos de 7 bilhões de euros.

O grupo, que produz de elevadores a submarinos, disse que o novo plano siderúrgico deveria fazer parte da estratégia mais ampla da empresa, que inclui vender unidades ou encontrar parceiros para negócios que não são competitivos com os rivais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *