Violência no norte da Síria desloca 150 mil pessoas

Arquivado em: Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 9 de janeiro de 2018 as 11:01, por: CdB

As forças governamentais iniciaram uma campanha militar no sudeste de Idlib e no nordeste de Hama no último dia 22 de outubro

Por Redação, com EFE – de Beirute:

Mais de 150 mil pessoas foram deslocadas dos seus lares pela recente escalada de violência no noroeste da Síria, onde as forças governamentais desenvolvem uma ofensiva contra facções islamitas e rebeldes, segundo os dados divulgados nesta terça-feira pelo Observatório de Direitos Humanos.

Mais de 150 mil pessoas foram deslocadas dos seus lares pela recente escalada de violência no noroeste da Síria

A fonte destacou que essas pessoas fugiram das áreas de Abu Duhur, Sinjar; Saraqeb e Marat al Nuaman, no sul da província de Idlib; assim como de áreas do norte e do nordeste da região vizinha de Hama e do sul de Aleppo.

Os deslocados têm se dirigido para o centro e o norte de Idlib; longe das hostilidades.

As forças governamentais iniciaram uma campanha militar no sudeste de Idlib e no nordeste de Hama no último dia 22 de outubro.

Nas últimas horas se intensificaram os bombardeios da aviação da Rússia e da Síria e os disparos de artilharia nessas regiões.

Durante o dia de hoje as forças governamentais sírias tomaram o controle de 12 localidades no leste de Idlib; em seu avanço para o aeroporto militar de Abu Dahur; do qual se aproximaram oito e 10 quilômetros por dois lados diferentes.

Quase toda Idlib está dominada pelo Organismo de Libertação do Levante; a aliança da ex-filial síria da Al Qaeda, e outras facções.

ONU

De acordo com dados divulgados no último dia 4 pelo Escritório de Assuntos Humanitários da ONU (OCHA); 60.310 pessoas se deslocaram dos seus lares em Idlib e Hama entre novembro e dezembro do ano passado e fugiram para o norte; devido à deterioração da situação de segurança.

O chefe humanitário da ONU, Mark Lowcock, chegou hoje à Síria; onde se encontrará com responsáveis governamentais; na sua primeira viagem a este país desde que assumiu o cargo no final de agosto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *