Violência no Oriente Médio assusta investidores em nível global

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado sexta-feira, 14 de julho de 2006 as 11:41, por: CdB

O índice Bovespa começou a última sessão da semana em alta e chegou a animar os investidores quanto a uma ligeira recuperação após dois dias de queda. Assim que os negocios começaram em Wall Street, no entanto, o desânimo tomou conta do pregão que, às 11h36, recuava 0,14%, para 35.303 pontos. O dólar comercial acompanhava o risco-país, que tinha queda de 0,79%, aos 251 pontos, e caía 0,4%, vendido a R$ 2,211.

No mercado internacional, os preços do petróleo voltaram a bater recorde. Na pré-abertura, em Nova York, o barril superou os US$ 78. Assim, o índice Dow Jones tinha baixa de 0,4%, aos 10.801,95 pontos, e a Nasdaq (que reúne ações de empresas de tecnologia) recuava 0,43%, para 2.045,13 pontos. As principais Bolsas asiáticas fecharam em queda e as européias também tinham queda, em uma clara referência às preocupações mundiais quanto ao aumento da tensão e da violência entre Líbano e Israel.

A corretora AGK, em nota distribuída na manhã desta sexta-feira, pontua que “a permanência dos preços do petróleo em níveis elevados pode começar a ter impacto sobre as previsões de inflação, o que poderá, por sua vez, levar a taxas de juro mais elevadas nos EUA. Nesse contexto desfavorável, os investidores poderão ficar ainda mais nervosos, o que pode aumentar a aversão a risco e prejudicar o fluxo de capitais para os emergentes”. Analistas acreditam que a Bovespa tem uma resistência para cair muito abaixo do patamar atual e a moeda norte-americana deve oscilar acima dos R$ 2,20 no curto prazo.