Visita de Bush em Belfast é marcada por protestos

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado segunda-feira, 7 de abril de 2003 as 16:09, por: CdB

Vários protestos contra a guerra foram convocados em Belfast durante a visita do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, que vai ficar hospedado em um castelo das proximidades, com um forte esquema de segurança.

Bush chegou às 17h35 GMT (14h35 Brasília) em Belfast para uma reunião de dois dias com o primeiro-ministro britânico Tony Blair, onde irão falar da guerra e da futura reconstrução do Iraque, além dos processos de paz no Oriente Médio e na Irlanda do Norte.

As manifestações irão acompanhar os dois líderes políticos, embora os pacifistas tenham que ficar a vários quilômetros do castelo de Hillsborough, onde serão realizadas todas as reuniões.

As organizações que convocaram os protestos acham uma “hipocrisia” que os dois dirigentes queiram agora aparecer como pacificadores diante da opinião pública quando as tropas dos Estados Unidos e do Reino Unido estão invadindo o Iraque.

“Os assuntos relacionados à Irlanda do Norte estão em último plano na agenda. O principal tema da reunião é o Iraque. É hipocrisia que o processo de paz e o Acordo da Sexta-feira Santa sejam utilizados dessa forma”, disse nesta segunda-feira, Alisa Keane, da Stop the War (Pare a guerra).

Este aspecto também foi condenado pelas forças nacionalistas da Irlanda do Norte, como Sinn Fein, braço político do IRA, e o Partido Social Democrata e Trabalhista da Irlanda do Norte (SDLP), cujos membros decidiram se manifestar.

O “número dois” do Sinn Fein, Mitchel McLaughlin, considerou nesta segunda-feira que a invasão do Iraque terá as mesmas conseqüências que a ocupação da Irlanda do Norte por parte do Exército britânico.

A Stop the War espera que milhares de pessoas protestem no perímetro de segurança que rodeia o castelo de Hillsbourogh, que foi totalmente isolado.

As manifestações vão acontecer na tarde desta segunda-feira, para coincidir com a chegada de Bush ao castelo, e na próxima terça-feira, às 12h GMT(9h Brasília).

Blair e Bush, assim como os outros participantes, serão levados até o castelo de helicóptero por questões de segurança, o que contribui para que dificilmente vejam os protestos.

O acesso ao povo de Hillsborough foi também restringido e só os enviados especiais da imprensa que acompanha os dois dirigentes poderão assistir a entrevista coletiva conjunta que Bush e Blair darão na próxima terça-feira pela manhã.

Parte do centro da cidade, assim como algumas estradas de acesso, foram fechadas pela polícia, o que ocasionou sérios problemas para o tráfego nesta pequena cidade.

O aeroporto também foi fechado temporariamente por causa das ameaças de bomba que eram falsas.

Um dos avisos, em nome do IRA Autêntico – uma facção dissidente do Exército Republicano Irlandês (IRA)-, obrigou a polícia a fechar durante duas horas uma estrada de acesso ao aeroporto.

Outras falsas ameaças de bomba causaram problemas no norte de Belfast e em outras áreas da cidade, onde cartazes de denúncia pintados em muitas paredes são testemunhas de sua tradição no combate.

A viagem de Bush foi anunciada há apenas três dias, o que não deu muito tempo aos ativistas para convocarem protestos contra a guerra.