Ao vivo, Bolsonaro volta a mentir, atacar o STF e promover o negacionismo

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 18 de junho de 2021 as 16:44, por: CdB

O mandatário neofascista classificou o ministro Luís Roberto Barroso de “ditador” pela decisão de proibir que pessoas sejam despejadas de suas casas durante a pandemia, em casos de imóveis que estão ocupados desde antes do início do surto.

Por Redação – de Brasília

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a atacar os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e mentir, repetidamente, durante a transmissão semanal veiculada na noite passada, pelas redes sociais.

Em outra live, Bolsonaro colocou um globo terrestre na mesa, para sugerir que acredita ser a Terra redonda

O mandatário neofascista classificou o ministro Luís Roberto Barroso de “ditador” pela decisão de proibir que pessoas sejam despejadas de suas casas durante a pandemia, em casos de imóveis que estão ocupados desde antes do início do surto. A decisão, que teve por base princípios constitucionais como o da dignidade humana e o direito à vida, visa também evitar o agravamento da crise sanitária.

O presidente desconhece o consenso na comunidade científica internacional de que o distanciamento social – com as pessoas permanecendo dentro de suas casas o maior tempo possível – é uma das medidas prioritárias para se reduzir o contágio do novo coronavírus. Segundo afirmou, no entanto, a decisão do ministro é “um escárnio”.

— Isso é típico de comunista, de socialista, de quem não é pró-mercado, de quem é ditador . Barroso não tem zelo pela família tradicional. Lamentavelmente, ele é um péssimo exemplo para todos nós — atacou.

Mentiras

Bolsonaro afirmou, ainda, que o uso de máscaras causa sonolência, em função do acúmulo de gás carbônico que seria gerado próximo à boca e o nariz de quem as utiliza. Trata-se de outra mentira.

— O CO2 (gás carbônico) não leva ao sono? O cara está com a máscara, o carro está fechado, ele com a máscara, respirando ali. Quer dizer, vai ter uma oxigenação menor no seu corpo. Não precisa ser médico pra dizer isso aí. Isso pode levar a acidentes — inventou.

Bolsonaro, na realidade, repetiu uma informação falsa que circula em redes sociais e que já foi desmentida uma série de vezes por autoridades médicas e associações públicas de saúde.

Em nota enviada a uma agência de verificação de notícias falsas, o próprio Ministério da Saúde já informou que “não existe embasamento técnico científico que comprove a ocorrência de acidificação (acúmulo de gás carbônico) do sangue por causa do uso de máscaras”. Em outro momento da transmissão, que durou cerca de uma hora, ele voltou a mentir, em comentário sobre a morte em serviço de dois policiais militares no Rio de Janeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code