Vôlei: Minas suspende Maurício Souza por postagem com teor homofóbico

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Esportes Olímpicos, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 27 de outubro de 2021 as 14:13, por: CdB

O anúncio do Minas Tênis ocorreu após dois dos patrocinadores da equipe, a Fiat e a Gerdau, pressionarem por uma punição ao jogador pela postagem com conteúdo homofóbico. A postagem do jogador teve uma grande repercussão negativa nas redes sociais.

Por Redação, com ABr e Reuters – de Brasília/Sydney

O Minas Tênis Clube anunciou na terça-feira que afastou por tempo indeterminado o jogador Maurício Souza por uma postagem nas redes sociais com “manifestações intolerantes”.

Maurício Souza postou pedido de desculpa

“O Minas Tênis Clube reforça que não aceita e não aceitará manifestações intolerantes, racistas, preconceituosas e homofóbicas, e que intensificará campanhas internas em prol da diversidade, respeito e união, por serem causas importantes e alinhadas com os valores institucionais”, diz a nota publicada pela equipe mineira.

Logo após o posicionamento do Minas Tênis Clube, o atleta publicou em seu perfil no Twitter um pedido de desculpas: “Pessoal, após conversar com meus familiares, colegas e diretoria do clube, pensei muito sobre as últimas publicações que eu fiz no meu perfil. Estou vindo a público pedir desculpas a todos a quem desrespeitei ou ofendi, esta não foi minha intenção”.

O anúncio do Minas Tênis ocorreu após dois dos patrocinadores da equipe, a Fiat e a Gerdau, pressionarem por uma punição ao jogador pela postagem com conteúdo homofóbico. A postagem do jogador teve uma grande repercussão negativa nas redes sociais.

Aberto da Austrália

O primeiro-ministro da Austrália, Scott Morrison, afirmou na terça-feira que jogadores de tênis não vacinados serão permitidos a entrar no país para disputar o Aberto da Austrália em janeiro de 2022 se cumprirem uma quarentena obrigatória de duas semanas para evitar o novo coronavírus (covid-19).

Os comentários de Morrison contradizem declarações de seu ministro da Imigração, Alex Hawke, que disse na semana passada que tenistas e outros atletas precisariam estar com as duas doses da vacina para entrarem no país.

A declaração do primeiro-ministro é uma boa notícia para a Associação de Tênis da Austrália, que quer o número um do mundo, Novak Djokovic (além de outros jogadores importantes cujas situações vacinais não estão claras), competindo no Grand Slam australiano.

– Todas as mesmas regras precisam se aplicar a todos – disse Morrison ao canal Seven News. “Seja você um vencedor de Grand Slam, um primeiro-ministro ou um viajante a negócios, estudante, ou quem quer seja. Mesmas regras. Os estados estabelecerão as regras de quarentena como estão”.

O Estado de Victoria, onde fica o estádio Melbourne Park que sedia o Australian Open, certamente exercerá as regulações de quarentena da maneira mais rígida possível.

O premiê de Victoria, Daniel Andrews, faz oposição veemente a deixar pessoas não vacinadas entrarem no país, mas disse que o Estado “administrará o risco” caso o governo federal decida autorizar a entrada delas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code