Votação sobre porte de armas fica para o ano que vem, diz deputado

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 5 de novembro de 2018 as 16:06, por: CdB

“Se forçássemos a barra para votar esse ano, haveria risco de a proposta ser rejeitada. E um trabalho de seis anos iria pelo ralo. A composição do novo Congresso é mais conservadora. Com os novos deputados, as chances de aprovarmos o PL 3722 são bem maiores”, disse o deputado.

 

Por Redação – de Brasília

 

O deputado federal Rogério Peninha Mendonça (MDB-SC) afirmou, na manhã desta segunda-feira, em sua conta em redes sociais que, após ter recebido uma ligação do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), a votação de projeto de sua autoria que revoga o Estatuto do Desarmamento será adiada para 2019.

Código para liberação da posse e do porte armas entrará em pauta no ano que vem

Após a eleição de Bolsonaro, alguns deputados passaram a defender publicamente a votação da proposta — tema caro ao presidente eleito — ainda neste ano.

“Acabo de receber ligação do presidente Jair Bolsonaro. Ele concordou em deixarmos para o ano que vem a votação do projeto de minha autoria que revoga o Estatuto do Desarmamento”, escreveu em postagem no Facebook.

Votações

“Se forçássemos a barra para votar esse ano, haveria risco de a proposta ser rejeitada. E um trabalho de seis anos iria pelo ralo. A composição do novo Congresso é mais conservadora. Com os novos deputados, as chances de aprovarmos o PL 3722 são bem maiores”, disse.

Uma das bandeiras de sua campanha, o presidente eleito tem defendido a diminuição de restrições legais para que cidadãos tenham acesso a armas de fogo.

“Bolsonaro disse que precisará de mim para fazer o meio de campo entre o governo e a bancada do MDB em votações importantes a partir de 2019. É com alegria – e sabendo do peso que esta responsabilidade traz- que aceito a missão”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *