Xiaomi investirá US$ 7 bilhões em 5G, AI e IoT

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Tablet & Celulares, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 2 de janeiro de 2020 as 12:16, por: CdB

A empresa começou como uma fabricante de celulares acessíveis, mas seus produtos com acesso à Internet agora incluem desde smart TVs a panelas de arroz.

Por Redação, com Reuters – de Pequim

A Xiaomi investirá mais de 50 bilhões de iuanes (US$ 7,18 bilhões) em inteligência artificial e tecnologias 5G nos próximos cinco anos, à medida que a concorrência no setor aumenta.

Logo da Xiaomi em sede da empresa em Bengaluru, Índia
Logo da Xiaomi em sede da empresa em Bengaluru, Índia

O presidente-executivo da Xiaomi, Lei Jun, fez o anúncio em um comunicado publicado em uma conta da empresa em uma rede social nesta quinta-feira, mas não forneceu detalhes específicos sobre os investimentos.

– Precisamos transformar nossa vantagem contínua que temos em IAoT e vida inteligente em uma vitória absoluta – disse Lei, usando o acrônimo de Inteligência Artificial das Coisas, uma referência a uma combinação de IA e tecnologias da Internet.

O investimento intensifica a promessa da Xiaomi feita no ano passado de investir 10 bilhões de iuanes ao longo de cinco anos em uma estratégia “All in AIoT”.

A empresa começou como uma fabricante de celulares acessíveis, mas seus produtos com acesso à Internet agora incluem desde smart TVs a panelas de arroz.

No entanto, a Xiaomi também enfrenta uma intensa concorrência no mercado doméstico da rival Huawei, que capturou um recorde de 42% de participação no mercado chinês de smartphones no terceiro trimestre, às custas de outros fabricantes locais e da Apple.

Lei anunciou em outubro que a empresa planeja lançar mais de 10 modelos de celulares 5G em 2020.

Mercado Livre

O Mercado Livre ampliou parceria com a PayPal permitindo que usuários de seu serviço de pagamentos Mercado Pago no Brasil e México possam fazer transações no restante do mundo.

A ampliação da parceria ocorre depois que a PayPal se comprometeu em investir US$ 750 milhões no Mercado Livre por meio de uma oferta de ações realizada em março.

Em comunicado, o vice-presidente de operações do Mercado Livre, Stelleo Tolda, afirmou que o aumento da parceria permitirá que usuários do Mercado Pago no Brasil e México recebam remessas de dinheiro na carteira de digital que mantêm com a empresa.

No terceiro trimestre, o volume transacionado por meio do Mercado Pago alcançou US$ 7,6 bilhões, aumento ano a ano de 66,2%. O volume de pagamentos fora do Mercado Livre somou US$ 4 bilhões, alta de 140,4% ano a ano e superando pela primeira vez num trimestre o movimentado dentro da plataforma de comércio eletrônico.

– O PayPal estará disponível como opção de pagamento nos sites que aceitam Mercado Pago no Brasil e México, agregando 300 milhões de clientes. O PayPal também será aceito no Mercado Livre, para que usuários de outros países possam comprar no Brasil e no México – afirmou Tolda no comunicado.

– Cada empresa operará de forma completamente independente. No Brasil, o acordo visa estabelecer regras para viabilizar a interoperabilidade entre os arranjos de pagamento, nos termos da regulamentação do Banco Central – acrescentou.

O anúncio ocorre em meio à efervescência no mercado brasileiro de meios de pagamento, com centenas de novas empresas surgindo ao longo dos últimos dois anos. Como podem ser usadas para receber e transferir recursos para contas correntes e até pagar boletos, as contas de pagamentos atendem o público que demanda menos produtos financeiros.

Embora não haja estatísticas oficiais, executivos do setor estimam que pelo menos 50 milhões de contas de pagamentos já tenham sido abertas no Brasil, muitas por instituições que têm banco no nome, mas com licença de instituição de pagamentos ou em parceria com eles.