YouTube irá desativar comentários em vídeos com crianças

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Redes Sociais, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 1 de março de 2019 as 10:46, por: CdB

Medida é anunciada após revelações de que vídeos exibindo menores de idade eram alvo de atividades de pedófilos. Escândalos levou anunciantes a cancelarem publicidade no portal que pertence à Google.

Por Redação, com DW e Reuters  – de Nova York

O YouTube vai desabilitar a ferramenta de comentários em todos os vídeos da plataforma que contenham menores de idade, em uma tentativa de combater a atuação de pedófilos no site, afirmou a empresa na quinta-feira.

Empresa também antecipou lançamento de ferramenta para classificar vídeos e remover comentários

A decisão foi anunciada após o youtuber Matt Watson ter revelado, na semana passada, uma falha no algoritmo de busca do site que permite que pedófilos marquem, nos comentários, cenas que considerassem sensuais em vídeos de crianças e localizem com facilidade vídeos semelhantes marcados por outros usuários. Nos comentários, eles podem também trocar contatos e links para vídeos de pornografia infantil.

A companhia disse que levará meses para desativar os comentários em todos os vídeos da plataforma em que aparecem crianças. O processo já teve início na semana passada, quando o YouTube aplicou a medida a dezenas de milhões de vídeos.

– Reconhecemos que os comentários são uma parte essencial da experiência do YouTube e de como você se conecta com sua audiência e a faz crescer”, disse a empresa, numa mensagem aos seus criadores de conteúdo. “Ao mesmo tempo, os passos importantes que estamos dividindo com você hoje são importantíssimos para manter as pessoas jovens seguras.

Alguns youtubers poderão manter os comentários ativados desde que façam uma cuidadosa moderação e usem ferramentas de software fornecidas pelo YouTube, disse a Google, proprietária do site de vídeos.

O YouTube também antecipou o lançamento de uma ferramenta para classificar vídeos que, segundo a empresa, vai detectar e remover duas vezes mais comentários que contrariem a política da companhia.

Para alguns usuários do YouTube, como o analista da empresa de pesquisa de mercado eMarketer Paul Verna, a decisão do YouTube de desativar comentários de tantos vídeos parece extrema. Apesar de reconhecer tais preocupações, a presidente-executiva do YouTube, Susan Wojcicki, disse que “nada é mais importante para nós do que garantir a segurança de pessoas jovens na plataforma.”

As revelações sobre a atuação de pedófilos no YouTube elevaram temores de que a empresa pudesse enfrentar uma crise. Empresas como Nestlé e a empresa de telefonia móvel americana AT&T decidiram retirar seus anúncios do site na semana passada.

Diante disso, o YouTube deletou muitos comentários, bloqueou algumas contas e canais com comentários inapropriados. A Nestlé retomou os anúncios, dizendo-se satisfeita com a resposta do YouTube.

O YouTube não tem sido a única empresa a enfrentar esse tipo de problema. Outros sites em que usuários podem criar conteúdo, como Facebook e Twitter, também têm enfrentado cada vez mais exigências de que monitorem o que aparece em suas plataformas e pedidos para se livrarem de conteúdo impróprio, em meio a crescentes preocupações sobre a propagação do discurso de ódio e violência.

Uber e Lyft

Uber  e Lyft planejam oferecer bônus em dinheiro para alguns de seus motoristas mais ativos com a opção de comprar ações nas tão esperadas estreias em Wall Street, um esforço audacioso para melhorar as relações de motoristas com as empresas na transição para os mercados acionários.

Ambos os programas oferecerão aos motoristas que conduziram mais e registraram o maior número de milhas para as empresas a rara chance de comprar ações no IPO, antes que as ações comecem a ser negociadas em bolsas de valores públicas, segundo quatro fontes com conhecimento do assunto. Tais transações são normalmente indisponíveis para investidores de varejo.

A mudança é a mais recente oferta do Uber e da Lyft para melhorar as relações com os motoristas que há muito reclamam de sertem considerados como contratados independentes e alegam ter baixa remuneração e de receber mau tratamento pelas empresas, que enfrentam milhares de casos de arbitragem de motoristas sobre seu status de emprego.

A Lyft planeja oferecer aos motoristas que tenham registrado pelo menos 10 mil veículos na plataforma U$ 1 mil que poderão ser mantidos como bônus em dinheiro ou usados para comprar ações do IPO, disse uma das fontes nesta quinta-feira. O plano é um esforço para recompensar os motoristas mais antigos e ativos, que não desfrutam de benefícios, como seguro-saúde e reembolso de despesas.

Um motorista que tenha completado 20 mil viagens seria elegível para ganhar US$ 10 mil em dinheiro ou o equivalente de ações, disse a pessoa. Não ficou claro quantos motoristas se qualificariam, mas não há limites para o programa.

Muitos motoristas em áreas urbanas, como São Francisco e Los Angeles, dirigem tanto para o Uber quanto para o Lyft, e alguns podem se beneficiar dos dois programas de ações.

O Uber e a Lyft aplicaram para um IPO em dezembro de forma confidencial. Espera-se que a Lyft divulgue publicamente sua documentação regulatória nesta semana, com detalhes sobre o programa de recompensas de ações para motoristas.

A Lyft espera ser avaliada entre US$ 20 eUS$  25 bilhões no IPO, acima de sua atual avaliação de US$ 15 bilhões. A Uber está buscando uma avaliação que pode chegar aUS$  120 bilhões acima de sua avaliação de US$ 76 bilhões no mercado privado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *