Zagueiro da Juventus diz que comentários sobre ofensas a Kean foram mal-interpretados

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Futebol, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 4 de abril de 2019 as 13:15, por: CdB

Bonucci foi criticado por vários jogadores por dizer que a culpa pelo incidente foi “50 por cento” do colega de 19 anos e dos torcedores do Cagliari.

Por Redação, com Reuters – de Milão

Leonardo Bonucci, zagueiro da Juventus, disse que seus comentários sobre o colega de time Moise Kean, que ele alegou ter parte da culpa pelas ofensas racistas que sofreu depois de fazer um gol no Cagliari na terça-feira, foram mal-interpretados.

Bonucci comemora gol em partida Cagliari x Juventus, na arena Sardegna, em Cagliari, Itália

Bonucci foi criticado por vários jogadores por dizer que a culpa pelo incidente foi “50 %” do colega de 19 anos e dos torcedores do Cagliari.

– Fui entrevistado logo no final do jogo, e minhas palavras foram claramente mal-interpretadas, provavelmente porque me afobei na maneira como expressei meus pensamentos – disse ele no Instagram.

– Horas e anos não bastariam para falar sobre este tópico. Rejeito firmemente todas as formas de racismo e discriminação. As ofensas não são aceitáveis de maneira nenhuma, e isto não pode ser mal entendido.

Kean, que foi provocado durante todo o jogo, aproveitou um cruzamento de Rodrigo Bentancur e selou a vitória de 2 a 0 dos líderes isolados da liga italiana e depois se colocou diante dos torcedores do Cagliari atrás do gol e abriu os braços.

Em reação, estes fizeram o som que na Itália é descrito como “buu” e visto como uma ofensa racista, mas alguns torcedores argumentam que é simplesmente para incomodar os jogadores rivais, independentemente da raça.

Na ocasião, Bonucci disse que Kean deveria ter comemorado com seus colegas de time – comentário que levou Raheem Sterling, atacante da Inglaterra, a dizer: “Tudo que você pode fazer agora é rir.”

Manchester City

O Manchester City voltou à liderança do Campeonato Inglês com uma vitória por 2 a 0 sobre o Cardiff City que deixou a equipe comandada por Pep Guardiola um ponto à frente do Liverpool faltando seis jogos para o fim do campeonato.

O destino do título está nas mãos do Manchester City, agora que assim como o Liverpool, ele disputou 32 jogos e o City tem 80 pontos, contra 79 dos comandados de Juergen Klopp.

O City dominou a partida desde o início, abrindo o placar aos seis minutos quando Kevin De Bruyne recebeu bom passe de Aymeric Laporte e superou o goleiro Neil Etheridge.

Leroy Sane fez 2 a 0 aos 44 minutos da primeira etapa de pé esquerdo, após receber passe de Gabriel Jesus.

O City não conseguiu ampliar na segunda etapa, com Etheridge fazendo uma série de boas defesas.

O resultado deixa o Cardiff, 18º colocado, a cinco pontos de sair da zona de rebaixamento, com 28 pontos. Burnley, Southampton e Brighton tem 33 pontos, cada. O Huddersfield Town e o Fullham já estão rebaixados.

Valencia

A angustiante campanha do Real Madrid no Campeonato Espanhol continua, com o time sofrendo nesta quarta-feira sua nona derrota em La Liga, a primeira desde o retorno do técnico Zinedine Zidane, ao ser merecidamente batido por 2 a 1, fora de casa, por um Valencia em recuperação.

Gonçalo Guedes, atleta da seleção portuguesa, colocou o Valencia na liderança aos 35 minutos do primeiro tempo, com uma finalização forte de dentro da área, que venceu o goleiro Keylor Navas.

O Real Madrid jogou bem até o gol, a partir do qual perdeu força, enquanto o Valencia continuou a ameaçar até dobrar sua vantagem já no segundo tempo, com uma cabeçada do defensor Ezequiel Garay aos 38 minutos.

Karim Benzema ainda marcou um gol de honra para os madrilenhos nos acréscimos, logo após o time comandado por Zidane ter um pênalti cancelado após revisão do árbitro de vídeo, que apontou um impedimento de Sergio Ramos no lance em que o árbitro inicialmente marcara a penalidade.

O Valencia, que chegou à final da Copa do Rei e às quartas de final da Liga Europa, se aproxima da zona de classificação para a próxima Liga dos Campeões, avançando à quinta posição, com 46 pontos, um atrás do quarto colocado Getafe.

O Real Madrid, por sua vez, permanece em terceiro lugar, com 57 pontos, 13 atrás do Barcelona, líder de La Liga, e cinco abaixo de seu rival local, o Atlético de Madrid.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *