Zelensky diz que ‘não é hora de negociar’ com russos

Arquivado em: América do Norte, Ásia, Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 27 de junho de 2022 as 11:29, por: CdB

A mensagem também foi dada por Zelensky via Telegram, em que ele cobra que os líderes do G7 atuem mais fortemente para que o conflito seja encerrado ainda em 2022. Entre as medidas, o chefe do governo de Kiev pediu que seja “limitado” o preço do petróleo russo.

Por Redação, com ANSA – de Kiev

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, afirmou aos líderes do G7 que essa “não é a hora de negociar” com os russos para encerrar a guerra, informaram fontes ligadas à França nesta segunda-feira.

Zelensky ainda pediu que G7 faça esforços para a guerra terminar neste ano

– Presidente Zelensky deu uma clara resposta que agora não é a hora para negociações. A Ucrânia vai negociar quando estiver em uma posição para isso que será, basicamente, quando tiver restabelecido uma posição de força. Nesse tempo, nós temos que encerrar a guerra – disse um representante francês à agência AFP.

A mensagem também foi dada por Zelensky via Telegram, em que ele cobra que os líderes do G7 atuem mais fortemente para que o conflito seja encerrado ainda em 2022. Entre as medidas, o chefe do governo de Kiev pediu que seja “limitado” o preço do petróleo russo.

União Europeia

Durante a reunião com Zelensky no G7, o primeiro-ministro da Itália, Mario Draghi, voltou a defender a entrada da Ucrânia na União Europeia e disse que a parceria seria positiva para ambos, sendo uma boa estratégia de longo período.

O italiano ainda reforçou seu entendimento de que é preciso “continuar a trabalhar para impor um teto no valor do preço do gás” por conta das pressões feitas pela Rússia, que vem cortando fornecimento aos europeus como resposta às sanções.

Ao fim da cúpula do G7, os líderes de Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido confirmaram em declaração oficial a parceria para continuar a impor sanções contra a Rússia e reforçaram que manterão o apoio a Kiev em todas as áreas pelo tempo que for necessário, até o fim do conflito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

code