Zoom admite que não tem 300 milhões de usuários diários

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 30 de abril de 2020 as 13:28, por: CdB

O aplicativo de videoconferência Zoom não possui 300 milhões de usuários ativos diariamente, admitiu a empresa nesta quinta-feira ao site The Verge, dizendo que “involuntariamente” se referiu aos participantes diários de reuniões como usuários.

Por Redação, com Reuters – de São Francisco

O aplicativo de videoconferência Zoom não possui 300 milhões de usuários ativos diariamente, admitiu a empresa nesta quinta-feira ao site The Verge, dizendo que “involuntariamente” se referiu aos participantes diários de reuniões como usuários.

Cena de uma transmissão online por meio do aplicativo Zoom
Cena de uma transmissão online por meio do aplicativo Zoom

A publicação de 22 de abril, na qual a empresa anunciou um salto de 50% nos usuários ao longo de três semanas, foi agora editada para dizer que a empresa havia ultrapassado “300 milhões de participantes diários de reuniões do Zoom” em vez de “mais de 300 milhões usuários diários”.

“Quando percebemos esse erro, ajustamos a redação para participantes”, disse a empresa ao The Verge, acrescentando que “esse foi um erro genuíno da nossa parte”.

O Zoom, que foi fortemente criticado por exagerar informações sobre seus recursos de criptografia, não estava disponível imediatamente para um comentário.

Produção global de smartphones

A produção global de smartphones deve cair um recorde de 16,5%, para 287 milhões de unidades neste segundo trimestre em relação ao ano anterior, com a pandemia de coronavírus atingindo a demanda, informou a TrendForce, apesar das cadeias de fornecimento terem sido retomadas após semanas de paralisação.

Samsung e Apple manterão suas posições de primeiro e terceiro lugar no ranking, mas espera-se que ambas percam participação de mercado para as rivais chinesas, informou a empresa de pesquisa de mercado nesta quinta-feira.

Isso ocorre após uma queda de 10% na produção mundial no primeiro trimestre, quando a pandemia se espalhou e atingiu o pico na China antes de varrer a Europa e os Estados Unidos.

Produção anual

A TrendForce reduziu sua previsão de produção anual para 1,24 bilhão de smartphones, queda de 11,3% em relação a 2019, de 1,35 bilhão de unidades.

“A pandemia agora está causando efeitos no lado da demanda do mercado de smartphones, afetando as principais economias do mundo”, disse o TrendForce.

O TrendForce estima que a produção do iPhone caiu quase 9%, para cerca de 38 milhões de unidades no trimestre encerrado em março, e espera uma queda adicional de 2 milhões de unidades no trimestre atual.

A participação de mercado da Apple cairá para 12,6% neste trimestre, ante 13,5% no último, enquanto a da Samsung diminuirá 3 pontos percentuais, para 20,3%, no segundo trimestre, segundo a TrendForce.

“As marcas chinesas estão exercendo pressão contínua sobre a Samsung nos mercados do sudeste asiático e indiano a cada dia”, acrescentou a empresa.

A Huawei, que viu o crescimento da receita desacelerar acentuadamente no primeiro trimestre, deve produzir cerca de 48 milhões de telefones no trimestre para atender à recuperação da demanda doméstica, um aumento de 2 milhões em relação ao primeiro trimestre, afirmou o TrendForce.