Zoom suspende registros de novos usuários gratuitos na China

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 19 de maio de 2020 as 13:06, por: CdB

As paralisações causadas pelo coronavírus que afetaram milhões de pessoas em todo o mundo impulsionaram um enorme crescimento no uso de plataformas como o Zoom, à medida que famílias e empresas usam seu software para se comunicar.

Por Redação, com Reuters – de Pequim/São Francisco

A Zoom Vídeo Communications disse nesta terça-feira que estava limitando registros de novos usuários na China continental somente para clientes empresariais.

A Zoom Vídeo Communications disse nesta terça-feira que estava limitando registros de novos usuários na China
A Zoom Vídeo Communications disse nesta terça-feira que estava limitando registros de novos usuários na China

Usuários gratuitos na China continental podem continuar participando de reuniões hospedadas por clientes registrados, enquanto novos usuários estão disponíveis apenas para clientes corporativos que se inscreverem através de representantes de vendas autorizados, de acordo com um comunicado da empresa.

As paralisações

As paralisações causadas pelo coronavírus que afetaram milhões de pessoas em todo o mundo impulsionaram um enorme crescimento no uso de plataformas como o Zoom, à medida que famílias e empresas usam seu software para se comunicar.

O Nikkei informou pela primeira vez sobre a medida dizendo que a restrição nas contas individuais chinesas no aplicativo Zoom se devia a “requisitos regulatórios” no país, e a empresa foi alvo de um exame minucioso dos EUA e da China à medida que as tensões comerciais se intensificavam.

Segurança cibernética

Embora o Zoom tenha visto um aumento na demanda por seus serviços, enfrentou uma reação negativa de especialistas em segurança cibernética e usuários em relação a vários problemas de privacidade e segurança que fizeram com que ele parasse o desenvolvimento de novos recursos por 90 dias para resolver as preocupações.

A Zoom disse na semana passada que planeja abrir dois novos locais de pesquisa e desenvolvimento em Phoenix e Pittsburgh nos próximos dois anos, expandindo sua força de trabalho de engenharia em cerca de 60%.

YouTube

O YouTube, da Alphabet, lançou nesta terça-feira um novo programa para ajudar os anunciantes a atingir os espectadores mais valiosos que assistem conteúdo em suas TVs, em um esforço para reter as receitas de publicidade em um momento em que as marcas estão cortando orçamentos devido à pandemia de coronavírus.

O programa chamado YouTube Select permitirá que as marcas comprem anúncios que alcançarão as pessoas que utilizam a plataforma na TV, estejam transmitindo vídeos individuais do YouTube ou assistindo ao YouTube TV, o serviço de TV ao vivo da empresa. Como é provável que os espectadores assistam a mais conteúdo enquanto estão sentados no sofá em frente à TV do que em seus smartphones ou computadores, os espectadores de TV geralmente são considerados mais lucrativos no setor de publicidade.

Os espectadores estão se voltando ainda mais para o YouTube enquanto ficam em casa durante a pandemia, e mais de 100 milhões de pessoas assistiram ao YouTube em TVs em março, disse Tara Walpert Levy, vice-presidente de soluções de agências e marcas do Google.

Grande marca

– Se você é uma grande marca que depende de alcançar muitas pessoas com sua mensagem, a capacidade de acessar esse público é fundamental – disse ela em entrevista.

As emissoras de TV dos Estados Unidos podem perder até US$ 12 bilhões em receita com publicidade no primeiro semestre deste ano, de acordo com a empresa de pesquisa eMarketer, à medida que as marcas cortam seus gastos e esportes ao vivo, que normalmente atraem grandes quantias em publicidade, são suspensos.

Por meio do YouTube Select, os anunciantes também podem comprar anúncios para exibição nos principais canais do YouTube em determinadas categorias, como entretenimento, esportes ou beleza e moda.

O YouTube Select substituirá um programa chamado Google Preferred, que vendia anúncios nos 5% principais dos canais do YouTube com base na popularidade e no engajamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *