Macron garante que campo de imigrantes de Calais não retornará

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 16 de janeiro de 2018 as 13:56, por: CdB

Macron também disse que irá repreender policiais se eles usarem força excessiva contra imigrantes. Mas defendeu as forças de segurança de acusações

Por Redação, com Reuters – de Paris:

O presidente francês, Emmanuel Macron, disse nesta terça-feira que não irá permitir que outro campo de imigrantes improvisado surja na cidade portuária de Calais e pressionou o Reino Unido para responder a demandas da França sobre a questão de crianças desacompanhadas.

Presidente da França, Emmanuel Macron

Macron também disse que irá repreender policiais se eles usarem força excessiva contra imigrantes. Mas defendeu as forças de segurança de acusações de brutalidade levantadas por algumas organizações de caridade; que descreveu como mentiras.

– Não haverá nenhum retorno da ‘selva’ –  disse Macron durante discurso em Calais; em referência ao apelido dado ao campo que o governo anterior desmantelou.

A França quer que o Reino Unido compartilhe uma parte maior dos curtos de segurança de sua fronteira conjunta e aceite mais pessoas que buscam asilo.

Imigrantes morrem tentando chegar às Ilhas Canárias

Sete imigrantes do Norte da África morreram na segunda-feira tentando chegar do Marrocos às Ilhas Canárias; território espanhol, em um pequeno barco inflável; disseram autoridades espanholas.

Uma equipe de resgate encontrou cinco dos homens mortos em um barco à deriva na costa da praia de Bastian, na ilha de Lanzarote; a cerca de 130 quilômetros da costa marroquina. Dois outros homens morreram tentando nadar até a costa.

Serviços médicos tratavam por diversos graus de hipotermia 20 outros; que conseguiram nadar até a costa e transferiram diversos para hospitais.

Autoridades receberam uma chamada de emergência por volta do meio dia alertando sobre o barco à deriva e encontraram os cinco corpos mortos dentro.

Um porta-voz da polícia disse ainda não saber a causa da morte dos cinco no barco. Mas provavelmente se afogaram ou morreram de hipotermia. Serviços médicos não conseguiram ressuscitar os dois homens que se afogaram nadando até a costa.

O número de imigrantes chegando do norte da África à Espanha pelo mar dobrou em 2017 em relação ao ano anterior; conforme milhares tentam fugir de conflitos na África e no Oriente Médio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *