Polícia Federal desarticula organização especializada em evasão de divisas

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, Polícia, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 24 de setembro de 2020 as 13:28, por: CdB

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quinta-feira uma operação para desarticular uma associação criminosa especializada em evasão de divisas, operação de câmbio ilegal e lavagem de dinheiro, estabelecida na fronteira do sul do Brasil.

Por Redação, com ABr – de Brasília

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quinta-feira uma operação para desarticular uma associação criminosa especializada em evasão de divisas, operação de câmbio ilegal e lavagem de dinheiro, estabelecida na fronteira do sul do Brasil (Chuí-RS) com o Uruguai (Chuy).

PF desarticula organização especializada em evasão de divisas
PF desarticula organização especializada em evasão de divisas

Batizada de Yallah, a operação cumpriiu 11 mandados de busca e apreensão, nas cidades de Santa Vitória do Palmar (3), Chuí (7) e Uruguaiana (1).

Cerca de 50 policiais participaram da operação, que também cumpre ordens judiciais de bloqueio de ativos em contas bancárias de seis pessoas físicas e jurídicas e a indisponibilidade de nove veículos que superam R$ 1 milhão em valores de mercado. As medidas foram expedidas pela 11ª Vara Criminal da Justiça Federal de Porto Alegre.

“A investigação teve início com a notícia de movimentações financeiras suspeitas envolvendo membros da associação criminosa, que, entre 2016 e 2018, teriam movimentado mais de R$ 230 milhões entre diversas contas bancárias”, informou a PF.

De acordo com a polícia, as investigações apontam a existência de uma rede de pessoas físicas e jurídicas que receberiam em contas bancárias valores oriundos das mais diferentes regiões do Brasil.

A associação criminosa

A associação criminosa é responsável por gerenciar uma rede de contas bancárias, muitas vinculadas a laranjas e a empresas de fachada. Todos os investigados são residentes ou sediados na fronteira entre o Brasil e o Uruguai.

“Após o aporte dos valores nas contas de controle dos membros da associação criminosa, o grupo operacionalizava o saque, o transporte e a entrega dos valores em casas de câmbio e em outras instituições financeiras do Uruguai”, disse a PF.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *