Chile aproveita desistência do Brasil para sediar conferência mundial sobre o clima

Arquivado em: Destaque do Dia, Energia, Meio Ambiente, Últimas Notícias
Publicado sábado, 15 de dezembro de 2018 as 18:56, por: CdB

O Brasil havia inicialmente se apresentado para receber as negociações, mas o presidente eleito Jair Bolsonaro pressionou o governo brasileiro a retirar sua oferta para sediar a conferência.

 

Por Redação, com Reuters – de Katowice, Polônia

 

O Chile foi escolhido para sediar a próxima conferência climática da Organização das Nações Unidas (ONU) em 2019, segundo anúncio na atual reunião, na cidade polonesa de Katowice, nesta sexta-feira.

Ministra do Meio Ambiente chileno, Carolina Schmidt comemorou a decisão da ONU
Ministra do Meio Ambiente chileno, Carolina Schmidt comemorou a decisão da ONU

O Brasil havia inicialmente se apresentado para receber as negociações, mas o presidente eleito Jair Bolsonaro pressionou o governo brasileiro a retirar sua oferta para sediar a conferência.

COP25

Sob as regras da ONU, no próximo ano é a vez de um país da América Latina ou do Caribe sediar o evento.

Chile e Costa Rica estavam na linha de frente. O país da América Central se retirou devido aos custos, mas se ofereceu para ajudar o Chile na organização da chamada 25ª Conferência das Partes (COP25).

– Estamos felizes em dizer que, para a COP25, trabalharemos com a Costa Rica – disse a ministra do Meio Ambiente do Chile, Carolina Schmidt, em Katowice, nesta sexta-feira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *