Detenções de ilegais na fronteira EUA-México batem recorde

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 7 de dezembro de 2018 as 13:06, por: CdB

Estas pessoas foram capturadas pelas autoridades americanas quando cruzaram o país vindas do México por áreas que não eram portas oficiais de entrada.

Por Redação, com EFE – de Washington

As detenções de imigrantes ilegais na fronteira entre Estados Unidos e México aumentaram em novembro deste ano para 51.856 pessoas, um novo recorde desde que Donald Trump assumiu a presidência americana em janeiro de 2017, informaram na última quinta-feira as autoridades.

As detenções de imigrantes ilegais na fronteira entre Estados Unidos e México aumentaram em novembro deste ano

Este número representa um aumento a respeito de outubro quando se bateu o recorde de detenções na fronteira sul-americana na era Trump com 51.001 imigrantes irregulares detidos, segundo dados do Escritório de Alfândegas e Proteção Fronteiriça (CBP, em inglês).

Entre os detidos durante o mês de novembro havia pelo menos 25.172 membros de famílias e 5.283 menores não acompanhados, frente aos dados de outubro quando houve 23.115 integrantes de unidades familiares e 4.982 crianças e adolescentes que viajavam sozinhos.

Estas pessoas foram capturadas pelas autoridades norte-americanas quando cruzaram o país vindas do México por áreas que não eram portas oficiais de entrada.

A porta-voz do Departamento de Segurança Nacional (DHS, em inglês), Katie Waldman, disse em comunicado que “os números da fronteira de novembro de 2018 são o resultado previsível de um sistema de imigração quebrado – incluindo ordens judiciais defeituosas – que usurpa a vontade do povo norte-americano que pediu repetidamente por fronteiras seguras”.

– Para abordar a crise óbvia na nossa fronteira, o presidente acionou recentemente o exército e assinou uma nova medida que, junto a uma regulação conjunta com o Departamento de Justiça, faz com que os que cruzam a fronteira ilegalmente não sejam aptos para receber asilo – indicou Waldman.

De acordo com os últimos dados divulgados pelo Pentágono, 5, 6 mil militares dos EUA estão posicionados neste momento nos estados do Texas (2,4 mil), do Arizona (1,4 mil) e da Califórnia (, 8 mil) para enfrentar a chegada de caravanas de imigrantes à fronteira.

Há dois dias, o Departamento de Defesa dos EUA aprovou a prorrogação até 31 de janeiro da missão das tropas enviadas à fronteira com o México, como tinha solicitado o DHS.

No último dia 9 de novembro, Trump assinou uma ordem que faz com que aqueles imigrantes que entrem nos EUA pela fronteira com o México de forma irregular não tenham opção de pedir asilo; mas a medida foi paralisada de forma temporária por um juiz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *