Estados Unidos acusam Síria de apagar provas em Duma

Arquivado em: Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 20 de abril de 2018 as 11:00, por: CdB

Departamento de Estado norte-americano diz que russos e sírios agiram juntos para sanear evidências de suposto ataque químico enquanto bloqueiam o acesso da equipe internacional que deve inspecionar o local

Por Redação, com DW – de Washington:

O Estados Unidos acusaram as autoridades sírias nesta sexta-feira de tentar, com a ajuda da Rússia, apagar as provas do suposto ataque com armas químicas ocorrido na cidade de Duma, no último dia 7 de abril.

Duma, na província de Ghouta, foi intensamente bombardeada pelas forças sírias

– Acreditamos que oficiais russos trabalharam com o regime sírio para sanear os locais dos supostos ataques; e remover evidências incriminatórias do uso de armas químicas – afirmou a porta-voz do Departamento de Estado americano, Heather Nauert; acrescentando que essas ações visam permitir ao governo sírio; e seus aliados russos conduzir “suas próprias investigações encenadas”.

Segundo Nauert, os sobreviventes do ataque estariam sendo pressionados por Damasco e Moscou, aliado do regime de Bashar al-Assad; para mudarem suas declarações iniciais. Ela disse que essas informações se baseiam em relatórios de inteligência e “pessoas no local”.

Armas Químicas

A porta-voz lamentou que, mais de 10 dias após o incidente; ainda não tenha sido permitido o acesso da equipe da Organização para a Proibição das Armas Químicas (Opaq) à Duma; o que, segundo afirma, poderia estar relacionado a uma tentativa do regime sírio de comprometer as investigações.

– Quanto mais tempo se passar até a realização de uma investigação no terreno; mais se podem deteriorar as evidências – criticou a porta-voz.

Ao mesmo tempo, o Reino Unido aumenta a pressão para; que seja permitido o acesso da equipe internacional que se deslocou até a província de Ghouta para examinar as evidências do suposto ataque.

A embaixadora britânica na ONU, Karen Pierce, insistiu na quinta-feira; que russos e sírios devem cumprir suas promessas de liberar o acesso dos inspetores da Opaq ao local. “Cabe a eles, mais do que nunca, permitir a entrada da equipe; escoltá-la e garantir sua segurança, assegurando que [os inspetores] possam fazer seu trabalho”, afirmou.

OMS

Apesar dos obstáculos a uma investigação aprofundada em Duma; a Organização Mundial da Saúde (OMS) denunciou que dezenas de pessoas morreram na cidade com “sintomas relacionados a uma exposição a químicos altamente tóxicos”.

Na sexta-feira passada, os Estados Unidos, França e Reino Unido bombardearam a Síria, lançando 105 mísseis sobre três instalações suspeitas de produzirem e armazenarem armas químicas.

1 thought on “Estados Unidos acusam Síria de apagar provas em Duma

  1. Aproveitando-se de seu predomínio na mídia ocidental o governo dos EUA planta todo o tipo de mentira que quer. É público e notório para quem lê veículos da mídia ocidental que a Rússia foi o primeiro país a pedir a investigação do suposto ataque químico em Duma e, juntamente com a Síria, desde o início da divulgação do ataque encenado ofereceu proteção à comissão da OPAQ para que fizesse uma perícia independente. Justamente ao contrário da versão estadunidense, os EUA, o Reino Unido e a França são os países que mais obstáculos têm colocado a uma investigação independente sobre o falso ataque químico em Duma pois serão mundialmente desmoralizados em sua mentira que serviu de pretexto à criminosa agressão militar destes 3 países à Síria, desacatando a Carta da ONU e o Direito Internacional. Diversas matérias da mídia independente realizadas em Duma, inclusive mídias estadunidenses, já tornaram claro que não houve qualquer ataque. Restou à mídia ocidental inverter o noticiário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *