Governadores não se intimidam e desafiam Bolsonaro com medidas restritivas

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, Últimas Notícias
Publicado sábado, 27 de fevereiro de 2021 as 20:46, por: CdB

Embora o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tenha ameaçado os governadores de vetar o auxílio emergencial, caso insistam na política de distanciamento social, a tentativa de intimidação não surtiu qualquer efeito, mesmo entre seus aliados mais próximos,

Por Redação – de Goiânia, Recife e São Paulo

Embora o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tenha ameaçado os governadores de vetar o auxílio emergencial, caso insistam na política de distanciamento social, a tentativa de intimidação não surtiu qualquer efeito, mesmo entre seus aliados mais próximos, como é o caso do governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM).

Jari Bolsonaro não assusta os governadores com ameaças de boicote ao auxílio emergencial

Caiado e os prefeitos de 11 municípios da região metropolitana da capital Goiânia decidiram pelo fechamento das atividades econômicas, já a partir deste fim de semana. Continuam funcionando os serviços considerados essenciais, como supermercados, farmácias, postos de combustível, borracharias e oficinas mecânicas.

Pandemia

A medida será avaliada a cada sete dias e, caso a ocupação de leitos fique abaixo de 75%, volta a ser liberado o funcionamento das atividades econômicas com escalonamento regional intermitente, que funciona assim: a cidade é dividida em regiões e, a cada dia, uma região suspende as atividades econômicas.

Entre os adversários, entre eles o governador paulista, João Doria, as medidas são ainda mais efetivas. Desde a noite passada, as ruas boêmias da Vila Madalena, na Zona Oeste de São Paulo, experimentaram uma calmaria atípica até para os padrões do período da pandemia. Os bares fecharam às 22h e um novo “toque de restrição” passou vigorar às 23h.

Maior rigor

O toque de restrição é uma medida adotada pelo governo do Estado com objetivo de reduzir a circulação de pessoas à noite e na madrugada com intenção de frear o avanço da covid-19. A medida teve o primeiro dia de vigência nesta sexta-feira.

Em Pernambuco, onde Bolsonaro experimenta seus piores níveis de credibilidade, o governo anunciou, neste sábado, novas medidas restritivas, com toque de recolher, das 22h às 5h. A medida, que proíbe o funcionamento de atividades não essenciais durante a noite e a madrugada, valerá até 10 de março. Em todo o Estado, mais de 90% dos 998 leitos de UTI já estão ocupados.

Na última quarta-feira, 24, o governo estadual já havia anunciado ações restritivas em 63 municípios do interior, cujas taxas de ocupação de UTI já estavam muito elevadas. O primeiro decreto é ainda mais rigoroso nas Gerências Regionais de Saúde (Geres) II, IV e IX, com sedes nos municípios de Limoeiro, Caruaru e Ouricuri, onde as atividades econômicas e sociais estão proibidas entre 20h e 5h. O governo também prorrogou a suspensão de eventos corporativos e sociais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code