Governadores do PT desembarcam da campanha de Lula e votam Ciro

Arquivado em: Brasil, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 17 de maio de 2018 as 14:07, por: CdB

Direção nacional do PT não quer ouvir falar em negociação com Ciro Gomes (PDT), mas cresce a divergência.

 

Por Redação – de Fortaleza e São Paulo

 

Governadores petistas do Ceará, Camilo Santana, e de Minas Gerais, Fernando Pimentel embarcaram, mesmo sem a aprovação da Comissão Executiva Nacional do PT, na campanha do candidato da centro-direita Ciro Gomes (PDT).

Santana e Pimentel se juntam a Jaques Wagner e outros dirigentes que desembarcam da campanha de Lula
Santana e Pimentel se juntam a Jaques Wagner e outros dirigentes que desembarcam da campanha de Lula

Nesta quinta-feira, após as declarações de Pimentel, na véspera, Santana afirmou a um dos diários conservadores paulistanos, que apóia o golpe de Estado, ter a convicção de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não conseguirá disputar a Presidência nas eleições deste ano.

Isolamento

Santana argumenta, portanto, que o PT deve apoiar a candidatura presidencial do ex-ministro, seu padrinho político. E indica, por conseguinte, o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT) para vice na chapa do conterrâneo.

— O PT não pode apostar no isolamento suicida — afirmou Santana; referindo-se à determinação da legenda em prosseguir com a campanha de Lula

Santana acredita ser “desejo do povo brasileiro ver Lula presidente”, mais uma vez. Pondera, no entanto, que desejar é uma coisa “e realizar é outra”. Segundo afirmou, Lula tem pouca ou nenhuma chance de ser candidato, e pergunta:

— Até quando vamos prorrogar essa agonia?

Lula candidato

Camilo Santana falou a um dos diários conservadores paulistanos.

— Respeito a posição do partido. Sempre tenho colocado que Lula é vítima de uma grande injustiça. Mas acho que o momento não é de radicalismo. Sei que o desejo de todos nós era o Lula poder ser candidato. Mas entre querer que ele seja candidato e a realidade atual existe uma ponte muito grande. Parto do princípio de que o PT, sem dúvida nenhuma, é hoje o maior partido deste país. Agora, não acredito que vão deixar o Lula ser candidato. Isso é um fato. Não adianta a gente se enganar — acrescentou.

Suicida

Para o governador cearense, Lula “poderá contribuir muito nesse processo eleitoral; mas não como candidato. Não permitirão isso. E penso que o Ciro é, hoje, sem dúvida nenhuma, o principal nome para unir as esquerdas. E garantir as conquistas sociais alcançadas durante os 12 anos do PT no poder. Ciro sempre foi um aliado fiel. Negar isso acho que seria injusto”.

— O PT tem uma grande oportunidade de fazer esse debate. Não podemos nos isolar. O momento é de união, não de isolamento. O momento não é de radicalismos, isso não vai levar a nada. O momento é de reflexão, serenidade, desprendimento. Acho que quem pensa de verdade no partido, na sua história de luta, de conquista, não pode apostar no isolamento suicida — concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *