Grupo acessa dados da Defesa e expõe generais que apoiam Bolsonaro

Arquivado em: Brasil, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 26 de setembro de 2018 as 13:32, por: CdB

A motivação para as ações tem caráter explicitamente político, segundo manifesto que menciona os generais Eduardo Villas Bôas e Hamilton Mourão.

 

Por Redação – de São Paulo

 

O sistema de dados das Forças Armadas brasileiras estão longe de ser um instrumento seguro de defesa para o Brasil, conforme provaram os militantes do movimento Anonymous. Os dados vazaram, segundo o site DefCon Lab, na conta de Twitter do grupo AnonOpsBR. Eles divulgaram links para sites de compartilhamento de texto; além de um atalho para arquivo específico do Ministério da Defesa.

Os generais Villas Bôas, atual comandante do Exército, e Mourão, candidato a vice na chapa de Bolsonaro, tiveram seus dados vazados ao público
Os generais Villas Bôas, atual comandante do Exército, e Mourão, candidato a vice na chapa de Bolsonaro, tiveram seus dados vazados ao público

— Se o Anonymous acessa os bancos de dados do Ministério da Defesa brasileiro, imaginem o que a Agência Nacional de Segurança dos EUA (NSA, na sigla em inglês) pode fazer; apesar da aparente autorização do governo Temer a qualquer demanda norte-americana. Isso é uma desmoralização sem tamanho para os militares — comentou um militar, por telefone, à reportagem do Correio do Brasil, sob condição de anonimato.

Generais

Ainda segundo o DefCon Lab, de acordo com o que foi detalhado nas próprias publicações, “a ação parece ter explorado uma vulnerabilidade de injeção de SQL (SQLi). Os vazamentos indicam características do servidor atacado, bem como nomes de tabelas do banco de dados. Há, ainda, divulgação de dados pessoais do Gen. Eduardo Villas Bôas”.

“A motivação para as ações tem caráter explicitamente político-ideológico, com o seguinte manifesto que menciona os generais Eduardo Villas Bôas e Hamilton Mourão (candidato a vice-presidente na chapa de Jair Bolsonaro)”, acrescentou o Lab.

Leia, adiante, a nota do grupo Anonymous, distribuída na manhã desta quarta-feira:

“Nós somos Anonymous. Essa é uma mensagem direta ao fascismo e autoritarismo que ameaça a democracia brasileira através de seus generais Eduardo Villas Bôas e Mourão julgo vice do Bolsonaro, que sempre mandam recado com viés autoritário por meio de entrevistas, querendo tutelar a democracia por meio da força e do medo.

Sartre

“Queremos dizer para vocês que estamos observando-os e estamos dentro de seus sistemas, estamos expondo parte do banco de dados do Ministério da Defesa em resposta a essa postura de ambos generais completamente antidemocráticas e provando que estamos observando de perto cada passo de vocês.

“Fazemos um chamado aos hackersativistas que defendem acima de tudo a democracia brasileira que se unam contra o fascismo e autoritarismo que rondam a nossa nação. Usem a hashtag #OpEleiçãoContraOFascismo”.

Os ativistas divulgaram, ainda, uma citação do filósofo francês Jean Paul Sartre:

“Não se combate o fascismo porque se possa ganhar dele; se combate porque é fascista”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *