Lula quer garantir direito de falar ao público durante campanha eleitoral

Arquivado em: Brasil, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 10 de maio de 2018 as 16:36, por: CdB

Em petição na Justiça, o PT quer Lula ocupe espaço semelhante de seus adversários em debates eleitorais.

 

Por Redação – de São Paulo

 

O PT entrou com uma representação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com pedido de liminar contra a Folha de S. Paulo, o portal UOL e a emissora SBT por terem excluído o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a legenda das sabatinas eleitorais. O documento é assinado pela presidenta do partido, senadora Gleisi Hoffmann (PR).

O partido pede que seja dado espaço a um representante da candidatura de Lula. Argumenta que há  “quebra da isonomia por parte dos veículos” e lembra que o própria Folha inf

Lula resistiu por algumas horas, mas preferiu se entregar à Polícia Federal
Lula quer garantido seu espaço para entrevistas e debates

ormou anteriormente que os seis primeiros colocados nas pesquisa seriam convidados, mas substituiu Lula e o PT pelo senador Álvaro Dias (Podemos-PR), o sétimo colocado, que iniciou a série na segunda-feira.

Acordo

“Os responsáveis pela realização das entrevistas resolveram, por conta própria, em detrimento de uma candidatura de grande relevância, chamar o pré-candidato subsequente, ignorando até mesmo vontade maior da população, ilustrada pelos resultados da pesquisa Datafolha de 15 de abril de 2018”, diz o partido na petição.

A legenda diz em seu site que tentou, na terça-feira, um acordo, mas que sua tentativa de negociar foi ignorada. A liminar pede também o cancelamento das sabatinas e a imposição de multa de até R$ 25 mil por campanha antecipada.

O partido cita informação publicada em um dos diários conservadores paulistanos; que a série de entrevistas começaria com os pré-candidatos à Presidência da República no dia 7. Eles já estavam confirmados: Álvaro Dias, Marina Silva (Rede) e Ciro Gomes (PDT); além dos pré-candidatos ao governo de São Paulo Luiz Marinho (PT), Márcio França (PSB); João Doria (PSDB) e Paulo Skaf (MDB). 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *