MP realiza operação para prender quadrilha de traficantes em Teresópolis

Arquivado em: Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 23 de março de 2018 as 12:46, por: CdB

A denúncia a que o Ministério Público teve acesso indica que a quadrilha utiliza armas de fogo para sustentar seu poder e também para recrutar adolescentes para a venda de drogas ilícitas na região

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro:

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, por meio do Grupo de Atuação Especializada de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) realizou nesta sexta-feira a Operação Mandrake II para desarticular uma quadrilha de traficantes que age no município de Teresópolis, na Região Serrana do Estado. Estão sendo cumpridos seis mandados de prisão e sete de busca e apreensão.

As investigações foram iniciadas em 2017, com apoio da Coordenadoria de Inteligência da Polícia Militar e do 30º BPM

A operação também foi feita em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Estado; para onde teria fugido uma das lideranças do grupo, Bruno Silva Souza,; conhecido como Bumba, que escapou do sistema prisional.

Segundo informações do Ministério Público, foram denunciados nove integrantes de uma organização criminosa; que comanda o tráfico de drogas nas comunidades do Perpétuo, Rosário e Fonte Santa; todas no município da Região Serrana.

A denúncia a que o Ministério Público teve acesso indica que a quadrilha utiliza armas de fogo para sustentar seu poder; e também para recrutar adolescentes para a venda de drogas ilícitas na região.

As investigações

As investigações foram iniciadas em 2017, com apoio da Coordenadoria de Inteligência da Polícia Militar e do 30º BPM (Teresópolis); quando foi identifico que lideranças do tráfico de Teresópolis, mesmo presas; “continuavam a exercer poder sobre as comunidades e sobre seu subordinados soltos”.

Por esse motivo, a operação também realiza buscas na galeria e na cela ocupada por Wesley da Silva Neves, vulgo 2l; um dos líderes do grupo, na Penitenciária Vicente Piragibe.