Mulheres unidas contra Bolsonaro se transformam em fenômeno nas redes sociais

Arquivado em: Brasil, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 12 de setembro de 2018 as 14:21, por: CdB

Reunidas no grupo, centenas de mulheres convocaram ato para o próximo dia 29, data combinada para uma série de manifestações, em todo o país, contra Jair Bolsonaro.

 

Por Redação – do Rio de Janeiro

 

O grupo “Mulheres unidas contra Bolsonaro”, que chegava a 621.447 associadas na tarde desta quarta-feira, lidera o movimento feminino contra o ‘Coiso’, como é chamado o representante das forças de ultradireita, nas eleições presidenciais deste ano. Além desta, outras iniciativas de protesto contra os bordões machistas do capitão da reserva assumem papel relevante na resistência contra o fascismo, no país.

Bolsonaro (PSL-RJ) ameaça a deputada Maria do Rosário (PT-RS) de agressão física
Bolsonaro (PSL-RJ) ameaça mulheres, a exemplo da deputada Maria do Rosário (PT-RS) e mantém um discurso machista, homofóbico e racista em sua campanha

Estabelecido no dia 30 de agosto, em Salvador, pela baiana Ludimilla Teixeira, o grupo é administrado por nove mulheres e 71 moderadoras. Todas seguem focadas na admissão de novas integrantes.

— O número de solicitações não baixa de 10 mil. O grupo foi criado para ser uma organização das mulheres contra o fascismo — comemora a professora Maíra Motta, de 40 anos, uma das administradoras.

Manifestação

Mais de 10 mil mulheres inscritas nos últimos dias
Mais de 10 mil mulheres inscritas nos últimos dias

Reunidas no grupo, centenas de mulheres convocaram ato para o próximo dia 29, data combinada para uma série de manifestações, em todo o país, contra Jair Bolsonaro. Ao todo, cerca de 6 mil militantes já confirmaram ou demonstraram interesse em comparecer ao ato público.

Embora lidere a corrida eleitoral (26%), Bolsonaro concentra a rejeição de quase metade (44%) do eleitorado feminino, segundo pesquisa Ibope divulgada na véspera. As mulheres representam a maioria do quantitativo de eleitores, com 52% do total.

O grupo de mulheres transforma-se, portanto, em um fenômeno nas redes sociais. A comunidade é destinada à união feminina “contra o avanço e fortalecimento do machismo, misoginia e outros tipos de preconceitos representados pelo candidato Jair Bolsonaro e seus eleitores”, afirma o manifesto de lançamento.

“Acreditamos que este cenário que em princípio nos atormenta pelas ameaças as nossas conquistas e direitos é uma grande oportunidade para nos reconhecer como mulheres. Esta é uma grande oportunidade de união! De reconhecimento da nossa força!”, conclui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *