Operação sobre Postalis atinge banco norte-americano BNY Mellon

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, São Paulo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018 as 11:11, por: CdB

Segundo divulgou a PF, 100 mandados judiciais de busca e apreensão foram cumpridos nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Alagoas, além do Distrito Federal

Por Redação, com Reuters – de Brasília:

A Polícia Federal lançou nesta quinta-feira operação para apurar a atuação de uma suposta organização criminosa para desviar recursos no Postalis, fundo de pensão de empregados do Correios, e uma fonte com conhecimento das investigações afirmou que o banco norte-americano BNY Mellon é um dos alvos.

A Polícia Federal lançou nesta quinta-feira operação para apurar a atuação de uma suposta organização criminosa para desviar recursos no Postalis

Segundo divulgou a PF, 100 mandados judiciais de busca e apreensão foram cumpridos nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Alagoas; além do Distrito Federal. No total, 62 equipes policiais estiveram envolvidas na operação; batizada de Pausare, e as ações ocorrem em regime de esforço concentrado nas próximas 48 horas.

– A operação Pausare surge de um conjunto de auditorias de órgãos de controle encaminhados pelo MPF (Ministério Público Federal); que identificaram má gestão, irregularidades e impropriedades na aplicação dos recursos do Postalis. A missão da PF é investigar as repercussões criminais da atuação desse grupo de pessoas no desvio de recursos do fundo – afirmou a PF.

– Entre os alvos das medidas judiciais há pessoas físicas, em especial empresários em suposta articulação com gestores do fundo de pensão; bem como dirigentes de instituição financeira internacional. Também serão alvos dos policiais federais pessoas jurídicas; entre elas empresas com títulos em bolsas de valores e instituições de avaliação de risco – acrescentou a PF sem dar mais detalhes sobre os alvos da operação.

Polícia Federal

Segundo a PF, a gestão do Postalis e os desvios investigados pela operação Pausare geraram um déficit de R$ 6 bilhões no Postalis; e esse desequilíbrio fez com que aposentados e funcionários da ativa dos Correios; assim como o Tesouro Nacional; tivessem de aumentar sua contribuição ao fundo.

Em outubro do ano passado a Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc); órgão responsável pela fiscalização de entidades de previdência privada decretou intervenção de 180 dias no Postalis; quarto maior fundo de pensão fechado do país em número de participantes; com 136 mil pessoas entre ativos e aposentados.

No dia 18 deste mês, o Ministério Público Federal abriu processo civil contra unidade brasileira do norte-americano BNY Mellon; para ressarcimento de R$ 8,2 bilhões em prejuízos causados ao Postalis.

Procurados, o Postalis e a unidade brasileira do BNY Mellon não estavam imediatamente disponíveis para comentar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *