Plano de vacina toma forma nos EUA enquanto restrições continuam

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sábado, 28 de novembro de 2020 as 13:51, por: CdB

Autoridades de saúde dos Estados Unidos realizarão uma reunião de emergência na próxima semana para recomendar que uma vacina contra o coronavírus que aguarda aprovação seja dada primeiro a profissionais de saúde e pessoas em instituições de cuidado de longa permanência.

Por Redação, com Reuters – de Washington

Autoridades de saúde dos Estados Unidos realizarão uma reunião de emergência na próxima semana para recomendar que uma vacina contra o coronavírus que aguarda aprovação seja dada primeiro a profissionais de saúde e pessoas em instituições de cuidado de longa permanência.

Autoridades de saúde dos Estados Unidos realizarão uma reunião de emergência na próxima semana
Autoridades de saúde dos Estados Unidos realizarão uma reunião de emergência na próxima semana

A reunião, anunciada na sexta-feira por um comitê de imunizações do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA, sugere que a Agência de Alimentos e Medicamentos (FDA) pode estar perto de autorizar a distribuição do tão esperado medicamento, pelo menos àqueles considerados mais vulneráveis.

A United Airlines começou a movimentar os embarques da vacina, desenvolvida pela Pfizer, em voos fretados para garantir que ela possa ser distribuída rapidamente assim que for aprovada, segundo uma pessoa a par do assunto.

O Comitê Consultivo sobre Práticas de Imunização do CDC votará na terça-feira para recomendar que a FDA permita que profissionais de saúde e instalações de cuidados de longo prazo sejam os dois primeiros grupos a receber a vacina, disse uma porta-voz do CDC.

Um sinal verde para qualquer vacina

Um sinal verde para qualquer vacina seria uma boa notícia para os norte-americanos, no momento em que os líderes políticos têm determinado medidas cada vez mais agressivas para conter a disseminação do vírus.

Autoridades de saúde do condado de Los Angeles proibiram na sexta-feira todas as reuniões públicas e privadas por pelo menos três semanas e pediram aos moradores que fiquem em casa o máximo possível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *