Polícia manda prender MCs por aglomeração em bailes funk no Rio

Arquivado em: Destaque do Dia, Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 2 de março de 2021 as 14:39, por: CdB

 

A Polícia Civil do Rio de Janeiro mandou prender três MCs e mais 11 pessoas pela realização de bailes funk durante a pandemia do coronavírus. A lista da delegacia de Repressão aos Crimes de Informática e de Combate às Drogas também inclui nomes apontados como chefes do tráfico em comunidades.

Por Redação, com Sputnik – do Rio de Janeiro

A Polícia Civil do Rio de Janeiro mandou prender três MCs e mais 11 pessoas pela realização de bailes funk durante a pandemia do coronavírus.

Polícia do Rio manda prender MCs por aglomeração em bailes funk durante pandemia

A lista da delegacia de Repressão aos Crimes de Informática e de Combate às Drogas também inclui nomes apontados como chefes do tráfico em comunidades do Rio de Janeiro.

Os 14 indiciados foram acusados por infração de medida sanitária preventiva e epidemia, crime previsto no Código Penal, e associação ao tráfico de drogas.

Segundo a polícia, eles são responsáveis por organizar bailes funk durante o carnaval. Os três funkeiros que tiveram a prisão determinada são MC Poze, DJ Markinho do Jaca e MC Negão da BL.

De acordo com a investigação, as festas, realizadas a céu aberto dentro das comunidades, foram organizadas com autorização de integrantes de facções criminosas.

‘Nefasto conteúdo’

Segundo a polícia, os envolvidos “aumentam seus ganhos ilegais com a realização de tais eventos clandestinos”. A investigação apontou ainda que os acusados descumpriram decretos municipais e estaduais que determinam a suspensão de atividades que envolvam aglomeração de pessoas, em virtude da pandemia da covid-19, além de desrespeitar a Lei do Silêncio e tocar músicas que fazem apologia ao crime.

“Os organizadores utilizam equipamentos de som de grande potência cujos decibéis ultrapassam em muito o limite legal estabelecido, propagando-se a quilômetros de distância, perturbando o sossego da coletividade, no período entre as 22h e 7h da manhã do dia seguinte, expondo crianças, adolescentes e adultos ao nefasto conteúdo, visto que, em sua grande maioria, são tocadas ‘músicas’ de produção clandestina (proibidões) que fazem apologia ao crime ou a criminosos, sendo também tema recorrente o sexo, a violência, o tráfico e o uso de drogas”, afirmou a polícia, segundo o portal G1.

Belo foi preso

No dia 17 de fevereiro, o cantor Belo foi preso pela realização de um show no Complexo da Maré, no Rio de Janeiro. Ele também foi acusado de desrespeito a medidas preventivas sanitárias.

O cantor pediu desculpas por se apresentar na comunidade, mas disse que apenas aceitou um convite e questionou a decisão da Justiça. Após sua defesa entrar com um habeas corpus, ele foi solto no dia seguinte.