Presidente da Bolívia acusa OEA de criar controvérsias

Arquivado em: América do Norte, América Latina, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sábado, 18 de setembro de 2021 as 11:41, por: CdB

 

O presidente da Bolívia, Luis Arce, afirmou neste sábado na VI Cúpula da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC), que está ocorrendo no México, que a CELAC continua sendo necessária para a região porque a Organização dos Estados Americanos (OEA) não responde mais às necessidades dos países.

Por Redação, com Sputnik – de La Paz

Declaração ocorreu durante reunião de líderes da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos. O Brasil se retirou da CELAC no ano passado, por divergências ideológicas com os integrantes.

Presidente boliviano acusa OEA de criar controvérsias e ser ‘obsoleta e ineficaz’

O presidente da Bolívia, Luis Arce, afirmou neste sábado na VI Cúpula da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC), que está ocorrendo no México, que a CELAC continua sendo necessária para a região porque a Organização dos Estados Americanos (OEA) não responde mais às necessidades dos países.

O presidente da Bolívia, Luis Arce, destacou que a cooperação entre os Estados da CELAC têm alcançado resultados positivos em um mundo integrado e equitativo, baseado na diplomacia dos povos.

– A OEA, ao invés de atuar em conformidade com a Carta Democrática, atua contra a democracia com sua interferência constante, e não contribui para a solução pacífica de controvérsias, mas sim para gerá-las. É um órgão obsoleto e ineficaz. Que não responde às necessidades dos nossos Estados – disse Arce.

México

O governo do México planeja formalizar sua proposta de transformação da OEA na reunião. Em julho, na reunião dos ministros de Relações Exteriores do CELAC, o presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, solicitou a criação na região de algo semelhante à União Europeia e a substituição da OEA.

O presidente do México, López Obrador, destacou que CELAC é um mecanismo para fortalecer as relações entre os países irmãos da América Latina e do Caribe em um marco de respeito às soberania​s.

O Brasil se retirou da Celac em março de 2020, por divergências ideológicas com os integrantes, e recusou o convite mexicano para participar do evento este ano.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code