União Europeia ameaça impor sanções adicionais contra Venezuela

Arquivado em: América Latina, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 19 de abril de 2018 as 11:00, por: CdB

A Venezuela vive uma crise econômica e social, com milhões de pessoas sofrendo de escassez de comida e remédios, hiperinflação e crescente insegurança, que críticos dizem ser o resultado de políticas equivocadas do governo Maduro

Por Redação, com Reuters – de Bruxelas:

A União Europeia disse nesta quinta-feira que pode impor sanções adicionais contra a Venezuela se acreditar que a democracia está comprometida no país, depois que o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, convocou eleições para o próximo mês, que a oposição afirma que irá boicotar.

Protesto em frente ao Ministério da Saúde da Venezuela contra a escassez de remédios

A chefe de política externa da UE, Federica Mogherini, disse em comunicado; que lamenta a maneira como autoridades do governo Maduro convocaram eleições presidencial e legislativa para o dia 20 de maio; sem um consenso sobre as “condições para um confiável e inclusivo processo eleitoral”.

Crise econômica e social

A Venezuela vive uma crise econômica e social, com milhões de pessoas sofrendo de escassez de comida e remédios; hiperinflação e crescente insegurança, que críticos dizem ser o resultado de políticas equivocadas do governo Maduro. A crise fez com que cerca de 3 milhões de pessoas fugissem do país.

Maduro, que coloca a culpa pela recessão em uma “guerra econômica” liderada pela oposição do país e pelos Estados Unidos; está concorrendo à reeleição.

A principal coalizão de oposição do país está boicotando a eleição; e os dois líderes de oposição mais populares foram proibidos de disputar a votação.

– A União Europeia irá monitorar de perto o processo eleitoral e acontecimentos relacionados no terreno e está pronta para reagir; através de medidas apropriadas, a qualquer decisão ou ação que pode continuar a comprometer a democracia; o Estado de direito e a situação de direitos humanos no país – acrescentou Mogherini.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *