Os evangélicos e a fé no messias Bolsonaro

Por Rui Martins – Hoje, no Brasil, sem sequer a justificativa de uma guerra fria, as igrejas evangélicas ocupam cerca de 20% do espaço político e dizem aos seus seguidores para votarem em Bolsonaro contra o comunismo, como se o comunismo ainda fosse uma ameaça.

Continue lendo

Jacques Wagner pode levar Haddad à vitória

Por Celso Lungaretti – Com sua obsessão em fazer o povo brasileiro acreditar que o defenestramento da rainha louca teria resultado de um golpe e que Lula seria um prisioneiro político, o PT subestimou grosseiramente o risco Bolsonaro.

Continue lendo

Bom dia Zé Dirceu!

Por Rui Martins – Qualquer que seja o resultado, deveremos todos ter a humildade de fazer enfim sua mea culpa e assumir o resultado dessa mea culpa. Grandes e pequenos. Esperemos que ainda haja tempo para se evitar o mal maior.

Continue lendo

Adeus Mário Augusto Jakobskind

Por Mário Augusto Jakobskind – Infelizmente Jakobs não vai votar e nem comentar o priemiro turno, porém, sabemos que se divergências surgissem na interpretação, estaríamos todos juntos no combate jornalístico para evitar ao Brasil o retrocesso e a chegada ao poder do candidato da extrema-direita.

Continue lendo

#ELENÃO #ELENÃO

Por Rui Martins – De sábado para cá, as expectativas se tornaram ainda mais pessimistas, com uma possível vitória do candidato da extrema-direita.

Continue lendo

A eugenia vem depois do segundo turno

Por José Ribamar Bessa Freire – Na Revista do Brasil, negros aparecem como dotados de “inteligência inferior, falsos, desconfiados, mentirosos e devassos”, os índios como “indolentes e selvagens primitivos”.

Continue lendo

A Chapa Villa Lobos em luta na ABI

Por Mário augusto Jakoskind – A coordenação da Chapa Villa-Lobos, Associação Brasileira de Imprensa (ABI), retoma sua marcha interrompida arbitrariamente pela atual diretoria, antes do pleito 2016-2019.

Continue lendo

Os erros mortais do PT

Por Rui Martins – Ao aceitar sua inelegibilidade e indicar Fernando Haddad como candidato do PT à presidência, pondo fim à candidatura fantasma, Lula encaixa mais uma derrota, revelando uma estratégia que não funcionou e só colecionou erros, alguns mortais para seu partido.

Continue lendo