A ameaça nazista totalitária

Por Dalton Rosado – Não é de estranhar-se que um Ricardo Alvim da vida, patético secretário de Cultura do governo federal, não haja tido o menor pejo em reproduzir, num discurso público, palavras do nazista Joseph Goebbels.

Continue lendo

Deus nos livre de um Brasil evangélico

Por Ricardo Gondim – Imagino uma Genebra calvinista brasileira e tremo. Sei de grupos que anseiam por um puritanismo não inglês, mas moreno. Caso acontecesse, como os novos puritanos tratariam Ney Matogrosso, Caetano Veloso, Maria Gadu?

Continue lendo

Os índios no Censo de 2020

Por José Ribamar Bessa Freire – Será que o Censo de 2020 trará dados sobre suas aldeias, línguas e culturas, tão necessários para elaborar políticas públicas e demarcar territórios? O que o IBGE entende por “aldeia indígena”? Como serão contados os índios que vivem em área urbana?

Continue lendo

Em defesa da Folha contra o nazistóide

Por Rui Martins – Estou de volta do Brasil, depois de um mês, suficiente para testemunhar a anestesia geral aplicada no povo, enquanto dia a dia o governo toma medidas que destroem as estruturas democráticas numa espécie de nazificação lenta, indolor mas inexoravel.

Continue lendo

Memórias Intermitentes de Celso Furtado

Por Paulo Gustavo – Tem razão o professor João Antônio de Paula, da Universidade Federal de Minas Gerais, ao dizer, em forte prefácio aos “Diários Intermitentes 1937-2002”, de Celso Furtado, que para este grande brasileiro “A lucidez foi uma companheira inseparável”.

Continue lendo