Bolsonaro já admite fracasso na criação de partido e busca alternativa

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 24 de novembro de 2020 as 17:11, por: CdB

Uum seguidor questionou Bolsonaro sobre a tentativa que se mostra fracassada de criar uma legenda. Sem partido há mais de um ano, quando deixou o PSL, Bolsonaro vem tentando oficializar o Aliança, sem sucesso.

Por Redação – de Brasília

O presidente Jair Bolsonaro (sem paratido) começa a admitir o fracasso na tentativa de criar um partido de tendência fascista, o Aliança Pelo Brasil, e já admite buscar uma alternativa para concorrer à reeleição, em 2022.

Bolsonaro (sem partido), Flordelis (PSD-RJ) e Arolde de Oliveira (PSD-RJ) no controle da mídia gospel
Bolsonaro, ainda sem partido, busca apoio junto a outras legendas, a exemplo de Flordelis (PSD-RJ) e o falecido Arolde de Oliveira (PSD-RJ)

— Não é fácil formar um partido hoje em dia. A gente está tentando (criar a Aliança Pelo Brasil) mas se não conseguir a gente em março vai ter uma nova opção — disse, na portaria do Palácio da Alvorada.

A declaração de Bolsonaro atendeu à pergunta de um seguidor, que o questionou sobre a tentativa que se mostra fracassada. Sem partido há mais de um ano, quando deixou o PSL, em 12 de novembro de 2019, Bolsonaro vem tentando oficializar o Aliança, sem sucesso.

Desempenho

A ideia de criar a legenda foi lançada em novembro de 2019, mesmo antes de formalmente registrada a disputar uma eleição. Há mais de um ano ele vem tentando cumprir, sem sucesso, as regras estabelecidas pela legislação eleitoral e coletar centenas de milhares de assinaturas, em todo o país.

Analistas ouvidos pela reportagem do Correio do Brasil, no entanto, atribuem o fracasso de Bolsonaro ao intenso desgaste porque passa, desde a eleição. As urnas, no recente primeiro turno das eleições municipais, confirmam o péssimo desempenho de Bolsonaro. Após a perda do apoio de militares de baixa patente, a expectativa para os próximos meses é que o Bolsonaro fique mais dependente do grupo parlamentar conhecido como ‘Centrão’.

A saúde frágil do líder neofascista também é um fator de desgaste, junto ao eleitorado. Nesta manhã, Bolsonaro voltou a fazer exames médicos de rotina no serviço médico do Palácio do Planalto, consignou em nota a Presidência da República, sem mais detalhes sobre quais exames o mandatário realizou.

‘Tudo ótimo’

Aos 65 anos, Bolsonaro apresentou sintomas da covid-19 em julho e disse ter se recuperado da doença, sem sofrer sintomas mais sérios. Em setembro, o presidente se submeteu a uma cirurgia para a retirada de um cálculo na bexiga.

A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, esteve no Palácio do Planalto nesta manhã e, perguntada por jornalistas como estava o presidente, respondeu que “está tudo ótimo”.

Ao longo da campanha presidencial de 2018, Bolsonaro passou por quatro cirurgias supostamente relacionadas a um ataque com faca, em Juiz de Fora (MG). A primeira cirurgia foi realizada no hospital da cidade, o qual ele havia visitado anteriormente sem qualquer explicação plausível. Em seguida, foram intervenções realizadas em São Paulo, novamente no abdome, para a retirada de uma bolsa de colostomia e a correção de uma hérnia.