Instituições francesas de defesa dos direitos humanos apoiam a democracia brasileira

Arquivado em: Europa, Política, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 12 de junho de 2019 as 12:32, por: CdB

Durante o ato público, haverá um colóquio conduzido por atores sociais brasileiros e especialistas do Brasil. A manifestação destina-se a informar os líderes políticos franceses quanto ao desmantelamento dos direitos humanos, estabelecendo um diálogo entre as organizações da coalizão e o Parlamento francês.

 

Por Marilza de Melo Foucher – de Paris

Uma coalizão de 22 organizações de solidariedade internacional interpelará os parlamentares sobre o desmonte da democracia no Brasil. Na próxima quinta-feira, 20 de junho, às 9h, na Assembléia Nacional da França estas organizações francesas de solidariedade internacional estarão mobilizadas contra os ataques à democracia brasileira.

A ação de 22 das mais representativas organizações sociais francesas, junto ao Parlamento do país, alerta para o risco que corre a democracia brasileira
A ação de 22 das mais representativas organizações sociais francesas, junto ao Parlamento do país, alerta para o risco que corre a democracia brasileira

O encontro será realizado pelos representantes de cinco organizações da coalizão: Act Up Paris, Amnesty International France, ATTAC, Autres Brésils e Le Secours Catholique. No ato, será apresentada a coalizão, seus objetivos “e suas ações contra as práticas do governo de extrema direita, que ameaça as instituições democráticas e os atores sociais e políticos que lutam por elas”, afirma a coalizão, em documento distribuído à mídia internacional, nesta quarta-feira.

Ainda durante o ato público, haverá um colóquio conduzido por atores sociais brasileiros. A convite da deputada Danièle Obono, o colóquio dirige-se tanto à mídia brasileira quanto aos deputados dos diferentes grupos da Assembléia Nacional francesa. Destina-se a informar os líderes políticos franceses quanto ao desmantelamento dos direitos humanos e da democracia no Brasil, estabelecendo um diálogo entre as organizações da coalizão e o Parlamento francês.

Solidariedade

A coalizão, que reúne 22 organizações de solidariedade internacional francesas, tem por objetivo apoiar os defensores dos direitos humanos e ambientais no Brasil.

É integrada por:

Act Up Paris, Acteurs dans le monde Agricole et Rural (AMAR); Amnesty international France, Association pour la recherche sur le Brésil en Europe (ARBRE); Attac France, Autres Brésils, Bureau d’accueil et d’accompagnement des migrants (BAAM), CCFD – Terre Solidaire; Centre d’études et d’initiatives de solidarité internationale (Cedetim), Centre d’étude du développement en Amérique Latine (CEDAL); Centre de recherche et d’information pour le développement (CRID), Comité de solidarité avec les Indiens des Amériques (CSIA-Nitassinan); Coopérative Écologie sociale, Emmaüs International, Fédération SUD PTT, France Amérique Latine (FAL); France Libertés, Fédération syndicale unitaire (FSU), Internet sans frontières; Planète Amazone, Réseau Initiatives Pour un Autre Monde (Ipam) e Secours Catholique.

Programação:

9h-10h – Coletiva de imprensa (inscrição obrigatória, acesso reservado às mídias). Participação das organizações da coalizão: – Act-up Paris – Geneviève Garrigos para Amnesty International France – ATTAC – Érika Campelo para Autres Brésils – Le Secours Catholique;

10h-13h – Colóquio

10h-11h30 – Enfraquecimento do Estado de direito no Brasil: análise e testemunhos Contexto político e jurídico da chegada ao poder do presidente Jair Bolsonaro Carol Proner: advogada, doutora em direito internacional. Secretária da Associação de juristas pela democracia. Camille Goirand: professora de ciência política, especialista dos movimentos sociais e dos partidos políticos no Brasil. Desconstrução dos espaços democráticos e criminalização dos movimentos sociais Paulo Iles: membro do departamento dos direitos humanos da cidade de São Paulo durante a administração de Fernando Haddad (PT). Implicado na rede Espacio sin Fronteras, membra da Organização pela cidadania universal. Chico Whitaker: membro fundador do Fórum Social Mundial, participa da comissão ARNS, que trabalha sobre as ameaças aos direitos humanos no Brasil. Mesa-redonda conduzida por Patrick Piro, jornalista de Politis.

11h30-11h45 – Intervalo

12h-13h0 – Quais são as ameaças contra o meio ambiente e os povos autóctones? Maureen dos Santos: responsável pelo programa de justiça climática da Fundação Henrich Boll no Brasil. Aurélie Journée-Duez: presidenta do Comitê de Solidariedade com os Índios das Américas (CSIA-Nitassinan). Doutora em antropologia pela EHESS. Geneviève Garrigos: responsável pelas Américas na Amnesty Internacional France. Mesa-redonda conduzida por Camille Champeaux do CRID.

Marilza de Melo Foucher é jornalista, economista e correspondente do Correio do Brasil, em Paris.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *