Israel ativa defesa antimíssil após sirenes na fronteira com a Síria

Arquivado em: Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 17 de maio de 2018 as 14:43, por: CdB

Os militares israelenses relataram a ativação do sistema de defesa através do Twitter. Porém, informam que situação que deflagrou o uso das sirenes provavelmente se tratava de um alarme falso, cujas circunstâncias estão sendo avaliadas

Por Redação, com Sputnik – de Jerusalém:

Forças de Defesa de Israel (FDI) ativaram o sistema de defesa antimíssil do país, conhecido como Cúpula de Ferro, após sirenes de aviso serem ouvidas sobre o território das Colinas de Golã, território fronteiriço com a Síria, sob controle israelense.

Forças de Defesa de Israel (FDI) ativaram o sistema de defesa antimíssil do país

Os militares israelenses relataram a ativação do sistema de defesa através do Twitter. Porém, informam que situação; que deflagrou o uso das sirenes provavelmente se tratava de um alarme falso; cujas circunstâncias estão sendo avaliadas.

O alarme falso daria conta de uma aeronave supostamente interceptada. As FDI confirmaram que se tratava de um falso alarme.

A região das Colinas de Golã está sob alerta e enviou veículos miliares; tropas e interceptadores de mísseis ao local mais cedo neste mês. Israel afirma ter detectado “atividade iraniana” incomum na Síria.

A tensão na região tem crescido em torno principalmente de Irã e Israel, que tem trocado ameaças após ataques mútuos recentes. Ataques da coalizão liderada pelos EUA no território sírio em abril, prenunciaram uma série de eventos de tensionamento de forças, incluindo a saída dos EUA do Plano Conjunto de Ação Integral (JCPOA).

Hamas

Ataques aéreos israelenses atingiram “alvos terroristas do Hamas no norte de Gaza” na noite de quarta-feira, após o que Tel Aviv chamou de provocações do Hamas perto da cidade fronteiriça de Sderot; informou um porta-voz das Forças de Defesa de Israel.

Quatro dos alvos “eram prédios e infra-estrutura terrorista em um complexo militar”; enquanto outros três ataques visavam uma instalação de produção de armas; anunciaram as Forças de Defesa de Israel (IDF) no Twitter. Segundo as forças de segurança israelenses; os caças foram uma reação aos disparos efetuados por uma metralhadora nas proximidades de Sderot.

– As IDF estão preparadas para continuar cumprindo sua missão de garantir a segurança aos civis israelenses – informou o comunicado.

No início do dia, um tanque das IDF teria aberto fogo contra posições do Hamas na parte sul da Faixa de Gaza. Mais uma vez, a IDF alegaram que o uso de força letal foi em resposta ao “fogo vindo de Gaza em direção às tropas das IDF”.

Nas últimas semanas, atiradores de elite israelenses dispararam contra milhares de manifestantes na fronteira de Gaza; ferindo milhares e matando mais de 100. As IDF classificaram os manifestantes de “militantes do Hamas”; embora crianças, jornalistas e médicos tenham estado entre suas vítimas.

Em 14 de maio, a embaixada dos EUA abriu em Jerusalém, provocando manifestações violentas e confrontos; entre os palestinos e as forças de segurança israelenses.

Além disso, os protestos coincidiram com o 70º aniversário da criação do Estado de Israel; conhecido na Palestina como Nakba (“catástrofe” em árabe); quando começou a expulsão de cerca de 750 mil palestinos de suas terras.

Os confrontos resultaram em 61 palestinos mortos e mais de 2,7 mil feridos, segundo fontes médicas palestinas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *