Lavrov diz que expulsão de diplomatas russos se deve à pressão dos EUA

Arquivado em: América do Norte, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 27 de março de 2018 as 11:00, por: CdB

O chanceler acrescentou que na Europa restam poucos “países independentes” e assegurou que a Rússia responderá às medidas adotadas contra sua diplomacia

Por Redação, com EFE – de Moscou:

O ministro de Relações Exteriores da Rússia, Sergey Lavrov, disse nesta terça-feira que a expulsão em massa de diplomatas russos de países ocidentais se deve à “pressão e à chantagem colossal” por parte dos Estados Unidos (EUA).

O ministro de Relações Exteriores da Rússia, Sergey Lavrov

– Sabemos, com toda certeza, que é o resultado de uma pressão colossal; uma chantagem colossal, que agora infelizmente é o principal instrumento de Washington na cena internacional – afirmou Lavrov no Uzbequistão, onde participa de conferência sobre o Afeganistão; segundo informam os veículos de imprensa russos.

O chanceler acrescentou que na Europa restam poucos “países independentes” e assegurou; que a Rússia responderá às medidas adotadas contra sua diplomacia; em relação ao caso do envenenamento do ex-espião Sergei Skripal e sua filha em Salisbury (sul da Inglaterra).

Resposta

– Responderemos, não duvidem, ninguém quer aguentar grosserias como essas; e nós também não as suportaremos – manifestou o chanceler em Tashkent.

A Rússia prometeu responder de maneira “recíproca” às expulsões de mais de 100 diplomatas; ordenadas por mais de 20 países ocidentais em represália pelo envenenamento do ex-espião.

Protesto

A Rússia manifestou na segunda-feira seu “enérgico protesto” pela decisão de países da União Europeia e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) de expulsar diplomatas russos por causa do caso do envenenamento do ex-espião russo Sergei Skripal; segundo declaração do Ministério de Relações Exteriores divulgada no site oficial. A informação é da EFE.

– Expressamos o nosso enérgico protesto pela decisão adotada – afirmou o ministério, que advertiu que a Rússia “reagirá”.

– Acreditamos que este é um passo hostil e que não ajuda a estabelecer as causas e a busca pelos culpados – diz o texto sobre o ocorrido em 4 de março em Salisbury (Inglaterra); quando o ex-espião russo Sergei Skripal e sua filha, Yulia; foram envenenados, segundo o Reino Unido, com um produto químico de fabricação russa.

A diplomacia russa disse que este “gesto provocador” dos países que anunciaram expulsões de diplomatas russos “segue o jogo das autoridades do Reino Unido (…); e é a continuação da política de confronto que aponta a uma piora da situação”.

Segundo o Executivo em Moscou, ao acusar infundadamente à Rússia do envenenamento de Skripal e sua filha; as autoridades britânicas “adotaram, de fato, uma postura parcial e hipócrita”. A parte russa, conforme a declaração, solicitou informações ao Reino Unidos em várias ocasiões; mas não recebeu retornos, embora se trate de uma tentativa de assassinato de cidadãos russos em território britânico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *