Mobilidade no Brasil: quais são os principais desafios

Arquivado em: Serviços, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 13 de julho de 2021 as 20:21, por: CdB

Conheça os principais problemas de mobilidade urbana no Brasil

A mobilidade no Brasil não é motivo de orgulho. Disso, claro, ninguém duvida ou questiona. Aliás, é fato consumado que esse problema de mobilidade em nosso país causa danos e prejuízos não só para as pessoas físicas, mas também para as empresas de diferentes tipos, tamanhos e segmentos, que acabam tendo dificuldades para escoar produtos ou receber clientes.

Por isso, é necessário um plano geral de reformulação nacional da mobilidade no Brasil, estabelecendo diretrizes que sejam formuladas com base na discussão social e avaliação honesta do que pode ou não ser feito. Em 2021, muitas prefeituras discutirão seu plano diretor, o que dá margem para mudanças específicas na área de mobilidade. Mas será que algo do tipo será feito?

5 problemas principais de mobilidade urbana no Brasil
Foto / Divulgação

Para entender quais são os principais desafios da mobilidade no Brasil, siga a leitura do artigo abaixo!

Os 5 principais desafios da mobilidade no Brasil

1. Infraestrutura

Um dos principais problemas para a mobilidade no Brasil é a infraestrutura. De fato, o país tem uma infraestrutura em péssimas condições e muito mal adaptada para as novas tecnologias, automóveis de grandes marcas (como carros Jeep) e recursos que surgem por aí.

Basta ver, por exemplo, a confusão que foi para a instalação de modais de ciclovia na cidade de São Paulo. Houve muito protesto e, em algumas áreas, o projeto realmente ficou muito perigoso por causa da falta de capacidade de adaptação.

Isso também inclui, por exemplo, a estrutura paupérrima para receber carros elétricos no Brasil, além da falta de ônibus ou linhas de trem para interligar o país. Até os canais fluviais são subutilizados.

Por isso, pensar em um projeto de mobilidade no Brasil significa pensar uma reformulação completa da infraestrutura nacional. Pelo menos 5 ou 6 obras de construção civil pesadas no país, de Norte a Sul, sem parar, para construir ruas pensadas para os novos transportes, interligações municipais e muito mais.

2. Renda

Um segundo problema sério para a mobilidade no Brasil está na renda. O brasileiro está cada vez mais pobre e com cada vez menos recursos sequer para o uso de transporte público, que dirá do consumo de meios de mobilidade particulares mais caros, como os carros elétricos.

Muitas novas tecnologias encontram na baixa renda nacional e desvalorização do real um empecilho para chegar ao Brasil. Um valor que seria “realista” para nossa realidade significa prejuízo para as empresas internacionais por causa do dólar baixo.

Por isso, o Brasil enfrenta dificuldades de atrair empresas que se interessem em fazer investimentos para colher lucros no futuro com o mercado nacional.

3. Falta de visão

Existe no Brasil, atualmente, uma falta de visão significativa sobre como as coisas devem seguir no futuro e o que pode ou deve ser feito a respeito disso. As já citadas ciclovias foram um exemplo disso, mas é possível citar outros. Por exemplo, a redução de velocidade nas estradas de São Paulo levou a uma redução de mortes e de trânsito. As pessoas passaram a chegar mais cedo em casa, mas mesmo assim houve reclamação até retornar como era.

Isso sem falar, por exemplo, na falta de interesse de obras longas para a interligação municipal via trens e ônibus e por aí vai. Essa falta de visão traz consequências econômicas também. Todos os grandes países interligam suas cidades da melhor forma possível para gerar maior atividade econômica entre elas, mas esse trabalho não é feito aqui.

4. Organização

Outro problema para a mobilidade no Brasil é a falta de organização espacial e demográfica. Há muita gente em São Paulo, por exemplo, mas poucas pessoas em outras áreas. Isso dificulta pensar em soluções que estejam disponíveis no país inteiro.

Além disso, quanto mais pessoas, mais difícil é de organizar ciclos de transporte público, mudanças de mobilidade e conseguir planejar alterações significativas no curto, médio e longo prazo.

5. Tamanho

O Brasil é um país de proporções continentais, completamente incomparável com o Japão, Inglaterra ou Alemanha, apenas para dizer alguns que são conhecidos por terem grandes soluções de mobilidade.

Por causa disso, fica difícil trabalhar certas coisas em grande escala, pelo menos naquela exigida para um país como o nosso. Por isso, é importante ter o apoio de lideranças locais para regionalizar o problema da mobilidade no Brasil. Conforme as questões passam a ser de grupos de cidades em vez de pensar o país como um todo, as soluções serão mais fáceis de surgir.

Pronto! Agora você já sabe quais são os principais obstáculos a superar para trabalhar com a mobilidade no Brasil de uma maneira melhor e mais saudável para todos. O mundo todo passa pelo debate da mobilidade, pensando em novas maneiras de construir uma sociedade que se mova melhor, já que a liberdade de movimento é essencial para todos os humanos. Por isso é preciso ter um sistema de transporte útil e de qualidade.

E aí, o que achou do conteúdo? Qual desses problemas parece ser o mais sério na sua opinião? Comente abaixo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code