ONU pede investigação independente sobre mortes em Gaza

Arquivado em: Mundo, Últimas Notícias
Publicado sábado, 31 de março de 2018 as 11:21, por: CdB

Dezenas de milhares de palestinos se reuniram em cinco localizações ao longo da cerca de 65 quilômetros que marca a divisa de Israel e Gaza

Por Redação, com Reuters – de Genebra:

O secretário-geral das Nações Unidas, Antonio Guterres, pediu por uma investigação independente e transparente sobre as mortes e ferimentos em Gaza na sexta-feira, disse seu porta-voz em comunicado.

Chefe da ONU pede investigação independente sobre mortes em Gaza

– Ele também apela às partes a absterem-se de qualquer ato que possa levar a mais baixas e, em particular; de quaisquer medidas que possam colocar civis em perigo – disse Farhan Haq, porta-voz da ONU.

Forças israelenses

Pelo menos 15 palestinos foram mortos e centenas ficaram feridos por forças de segurança israelenses em confronto com uma das maiores manifestações palestinas na fronteira de Gaza com Israel dos últimos anos; disseram autoridades médicas da região.

Dezenas de milhares de palestinos se reuniram em cinco localizações ao longo da cerca de 65 quilômetros que marca a divisa de Israel e Gaza. O exército israelense estima que o protesto tenha reunido cerca de 30 mil pessoas.

Famílias trouxeram suas crianças aos acampamentos a poucas centenas de metros da barreira de segurança israelense; com o enclave controlado pelo Hamas; onde campos de futebol foram desenhados na areais e bandas tocavam.

Mas, com o passar do dia, centenas de jovens palestinos ignoraram o pedido de organizadores e do exército israelense para permanecerem afastados da fronteira.

O exército israelense informou que suas tropas usaram “meios de dispersão e atiraram em direção aos principais instigadores”; com alguns manifestantes “rolando pneus em chamas e arremessando pedras” contra a fronteira e os soldados.

Autoridades

Autoridades de saúde da Palestina disseram que as forças israelenses usaram principalmente armas de fogo contra os protestantes; além de gás lacrimogêneo e balas de borracha. Testemunhas ainda citaram que o exército usou um drone em ao menos uma localização para lançar gás lacrimogêneo.

Um dos 15 mortos tinha 16 anos e pelo menos 400 pessoas foram alvejadas por tiros, enquanto outras foram atingidas por balas de borracha; ou tratadas por inalação de gás lacrimogêneo; segundo as autoridades médicas.

Manifestação

A manifestação marcava o “Dia da Terra”, uma comemoração anual das mortes de seis cidadãos árabes de Israel mortos por forças de segurança israelenses; durante protestos sobre o confisco de terras pelo governo no norte de Israel, em 1976.

A tensão se elevou ao longo da divisa porque o protesto coincidiu; com a Páscoa judaica e as comemorações cristãs da Sexta-Feira da Paixão; quando as forças de segurança de Israel costumam ficar em estado de alerta acentuado.

Fronteira

O chefe militar do Estado judeu disse que mais de 100 franco-atiradores do Exército foram mobilizados na fronteira com Gaza por precaução.

Escavadeiras foram usadas para aumentar uma série de pilhas de terra do lado israelense da cerca; e fileiras adicionais de arame farpado foram instaladas; para conter qualquer tentativa maciça de rompimento da barreira.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *