Tradição se repete no Corpus Christi com tapetes quilométricos

Arquivado em: Cultura, Destaque do Dia, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 20 de junho de 2019 as 16:47, por: CdB

São Gonçalo, mais uma vez, construiu o maior ornamento, com cerca de 1,5 quilômetro. Segundo a prefeitura local, esse ano o conjunto de tapetes será o maior da América Latina em extensão.

 

Por Redação – de São Gonçalo, RJ

 

A tradição de criar tapetes quilométricos pelas ruas das cidades brasileiras, nas celebrações de Corpus Christi, nesta quinta-feira, mobilizou centenas de fiéis em São Gonçalo, município do Grande Rio. Na capital, a organização ficou por conta das paróquias da Região Metropolitana, com ornamentos no qual foram utilizadas toneladas de sal colorido,.

No município de São Gonçalo, no Grande Rio, o tapete de Corpus Christi foi o maior da América Latina
No município de São Gonçalo, no Grande Rio, o tapete de Corpus Christi foi o maior da América Latina

São Gonçalo, mais uma vez, construiu o maior ornamento, com cerca de 1,5 quilômetro. Segundo a prefeitura local, esse ano o conjunto de tapetes será o maior da América Latina em extensão.

Tapetes

A montagem teve início no final da tarde passada e durou toda a madrugada. Foram criados 260 ornamentos nas duas das principais vias do Centro: as avenidas Coronel Moreira César e Nilo Peçanha. Segundo estimativas da igreja, 10 mil pessoas participaram da iniciativa.

Além das 60 toneladas de sal, foram utilizados borra de café, pedrarias, tintas corantes e mais de 200 sacos de 100 litros de serragem. Pelo menos 50 mil fiéis compareceram às procissões, realizadas no município. Os tapetes têm temas como a eucaristia e os 440 anos da cidade de São Gonçalo.

— A tradição do tapete de Corpus Christi nasceu na Bélgica, no século XIII, e depois se espalhou pelo mundo, chegando no Brasil com os colonizadores portugueses. Em São Gonçalo, nós o fazemos desde 1995. Tornou-se uma das principais tradições da cidades — disse o responsável pela organização do evento, padre André Siqueira, a jornalistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *