Witzel e Bolsonaro agendam visita a fábricas de armamentos em Israel

Arquivado em: Destaque do Dia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 2 de novembro de 2018 as 15:22, por: CdB

Witzel se fará acompanhar por um dos filhos do presidente eleito, Jair Bolsonaro, o senador também eleito pelo Estado do Rio Flávio Bolsonaro (PSL).

 

Por Redação – do Rio de Janeiro

 

As favelas e comunidades pobres, nos grandes centros urbanos, serão terreno de caça a suspeitos semelhante a Faixa de Gaza é para o Estado de Israel. O paralelo sustenta-se na declaração do governador eleito do Estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, que visitará Israel, em uma de suas primeiras viagens internacionais, para adquirir tecnologia de inteligência militar.

Em Israel, drones municiados com armas de grosso calibre são lançados para caçar suspeitos nos territórios ocupados na Palestina
Em Israel, drones municiados com armas de grosso calibre são lançados para caçar suspeitos nos territórios ocupados na Palestina

Witzel se fará acompanhar por um dos filhos do presidente eleito, Jair Bolsonaro, o senador também eleito pelo Estado do Rio Flávio Bolsonaro (PSL). Uma das primeiras visitas será à fábrica do modelo de drone equipado com um mecanismo de disparo, capaz de atingir alvos móveis, enquanto sobrevoa uma área conflagrada.

O equipamento é usado pelas forças israelenses em ações na fronteira com os territórios palestinos ocupados que, pela densidade populacional, assemelham-se ao das favelas cariocas. O governador e o senador eleitos visam também a compra de equipamentos de leitura facial.

‘Na cabecinha’

O mecanismo é instalado em transportes públicos de Jerusalém, recém-declarada capital de Israel.
Embora a legislação brasileira não permita, Witzel promete realizar uma política de extermínio no Estado. Ao assumir, tende a liberar o tiro letal para as polícias Civil e Militar, a suspeitos armados com fuzis.

— O correto é matar o bandido que está de fuzil. A polícia vai fazer o correto: vai mirar na cabecinha e… fogo! Para não ter erro. Vai reduzir os índices de bandido de fuzil em circulação. Se estiver mirando em alguém, tem de receber tiro na cabeça na hora — afirmou Witzel, em coletiva de imprensa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *