Gilmar Mendes entra na alça de mira do ministro Sérgio Moro e da Receita Federal

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019 as 18:16, por: CdB

Integrante da extrema direita e defensor de primeira hora do golpe jurídico-midiático-parlamentar contra a presidente Dilma Roussef (PT), há três anos, Mendes consta como suspeito de corrupção.

 

Por Redação – de Brasília

 

Desafeto declarado do ministro da Justiça e Segurança Pública, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes está agora na alça de mira da Receita Federal (RF). Em conjunto com a Polícia Federal (PF), os auditores da Receita tentam identificar “focos de corrupção, lavagem de dinheiro, ocultação de patrimônio ou tráfico de influência” de Mendes e da mulher dele, Guiomar.

Gilmar Mendes e Sérgio Moro se estranharam durante debate no Senado
Gilmar Mendes e Sérgio Moro se estranharam durante debate no Senado

Líder de extrema direita e defensor de primeira hora do golpe jurídico-midiático-parlamentar contra a presidente Dilma Roussef (PT), há três anos, Mendes consta como suspeito de corrupção.

Crítico

Relatório financeiro da RF, de maio de 2018,”aponta uma variação patrimonial de R$ 696.396 do ministro e conclui que Guiomar ‘possui indícios de lavagem de dinheiro”, diz o documento vazado para a mídia conservadora.

Ainda em 2016, o ministro Gilmar Mendes enfrentou o hoje ministro Sérgio Moro em um debate sobre as “dez medidas anticorrupção”, no Senado. Mas Gilmar Mendes tem sido um crítico ferino da série de ilegalidades e ações arbitrárias cometidas por Moro, ao longo de sua carreira. O ministro, no entanto, informa que não recebeu “qualquer intimação referente ao suposto procedimento fiscal e também não tive acesso ao seu inteiro teor”.

1 thought on “Gilmar Mendes entra na alça de mira do ministro Sérgio Moro e da Receita Federal

  1. Parabens auditores que estão analisando as movimentações financeiras do ministro gilmar e conjuge. Outrossim, tenho conhecimento que ele tem relações comerciais em Portugal.Por que também não investigar lá? Por fim, ele está tentando envolver o STF e outros orgãos para sua defesa.Finalmente. por que a classe dos auditores não participam do evento, pois ministro do STF não está acima de todos e da lei.Justiça igual para todos já.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *